segunda-feira, 21 de junho de 2010

VIVENDO NA DILIGÊNCIA DA PALAVRA

Hebreus 2:1-9
O autor continua sua exposição acerca da superioridade de Cristo. Todavia ele abre um pequeno parêntesis para alguns pontos que refletem a diferença entre o Antigo e o Novo pacto.
Atentar com diligência envolve atentar com cuidado. Muitos vivem um cristianismo distante da Palavra. Somos apegados e atentos às músicas, estratégias, mas não prestamos atenção à Palavra.
Diante deste apelo o autor mostra que a primeira revelação aponta para o pecado. Mostra que todos estão debaixo da transgressão e desobediência. A Nova Aliança aponta para a salvação.
Apego à palavra resulta...

1) ... no conhecimento de nossa situação diante de Deus (v. 2)
...se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda transgressão e desobediência recebeu justa retribuição.
Os judeus, assim como muitos hoje, não conseguiam ver o real motivo que levava Deus a criar a aliança. Muitos hoje olham para religião como sendo algo que lhe serve para questões sociais. Há aqueles que acreditam que religião precisa satisfazer todas as suas necessidades, desejos e caprichos nesta vida.
A palavra religião tem em sua raiz um significado muito profundo: religar (do latim religare). Mas, o que deve ser religado? Essa é a grande pergunta que precisa ser respondida. A Bíblia dá uma resposta simples e objetiva:
“Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus”(Rm 3:23)
Este pecado que nos destitui e nos leva para longe de Deus (Is 59:1,2). Assim como ocorreu com alguns anjos que falharam. É isto que o autor está tentando mostrar para seus destinatários – somos pecadores. Essa é a nossa situação real diante de Deus.
A Bíblia é o único livro que trata deste assunto desta forma. De um modo geral as religiões e filosofias humanas não têm uma preocupação direta com a situação do pecado. O problema que, enquanto pecadores, estamos expostos a ira de Deus (Cl 3:6).
Diante disso um segundo ponto que autor passa a desenvolver para seus destinatários é crucial para a humanidade.

2) ... no conhecimento da salvação oferecida (v. 3)
Este ponto é muito importante. O homem destituído estava sem esperança. Nada poderia dar-lhe uma expectativa de voltar a se relacionar com Deus. O pecado nos afasta de tal maneira que não conseguimos nos aproximar do Senhor.
Diante da situação do homem, que o próprio Deus viu que não teria jeito, o Senhor oferece a salvação. Deus cria um meio para que o homem possa se aproximar novamente dele.
Esta é a maior dádiva que a humanidade poderia receber. A dádiva de poder realmente se aproximar de Deus. É a religião no sentido mais absoluta da Palavra.
Quando nos apegamos à Palavra conhecemos de verdade esta oferta de amor. Quando não temos este apego vemos a religião como algo transcendental, místico mesmo. Mas o apego à Palavra nos leva a um confronto em nosso íntimo e com o próprio Deus.
Falta de apego à Palavra mostra uma negligência para com a Salvação. Não podemos ser descuidado com algo tão importante para as nossas vidas.

3) ... no conhecimento da obra do Espírito Santo (v. 4)
Este é o terceiro aspecto do apego à Palavra que o autor nos mostra. Quando de fato temos um apego a ela podemos entender melhor a obra do Espírito Santo.
Em uma análise rápida o Espírito Santo tem como obra:
1) Ele revela a natureza do pecado (Jo 16:8);
2) Ele auxilia o crente a andar nos caminhos do Senhor (Jo 14:26);
3) Ele é o consolador para os momentos de lutas (Jo 14:16);
4) Ele testifica que somos filhos de Deus (Rm 8:16);
5) Capacita os crentes através dos dons (I Co 12:11).
Sem um apego à Palavra e o conhecimento da mesma não é possível reconhecer estas coisas. É por isto elas precisam ser sempre lembradas através do estudo constante da Palavra.

4) ... no conhecimento da obra de Jesus para a Salvação do homem (v. 5-9)
Este é o ponto chave deste texto. Embora os outros pontos sejam importantíssimos, mas é neste que o autor se concentra. O objetivo dele é mostrar aos hebreus que a obra de Deus se completa inteiramente em Jesus. E que ele é muito superior aos anjos.
Mas este complemento ocorre primeiramente pela sua morte (v. 9). A morte de Jesus foi o ponto máximo de sua obra neste mundo. Somos salvos pela cruz (I Co 2). Embora comemoremos mais a ressurreição e o nascimento, mas nossa vitória só existe pela morte de Cristo.
Mas o complemento da obra de Deus ocorre também em virtude da ressurreição (v. 10). A expressão “foi coroado de honra e de glória” é para lembrar que ele ressuscitou. A ressurreição não foi a vitória, mas ela é a prova da primeira.
O último aspecto deste complemento de Deus é a santificação que Jesus opera naqueles que salva (v.11). A santificação consiste no processo que é iniciado em nossa conversão. Somos transformados para que possamos alcançar a glória. Esta por sua vez se inicia quando Cristo nos santifica através de seu sangue.
Meu caro Jesus veio a mundo para salvar o homem de sua situação de pecado. Mas para que isso ocorra em sua vida torna-se necessário que você o aceite e passe a segui-lo e a servi-lo verdadeiramente.
Para segui-lo você precisa reconhecer a sua situação de pecador e aceitar a sua obra salvadora e redentora crendo que ela é suficiente para sua salvação.
Para servi-lo é necessário que você faça parte da Igreja de Jesus. Não existe cristianismo sem igreja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário