segunda-feira, 5 de julho de 2010

FUGINDO DA INCREDULIDADE

Hebreus 3:1-19

O autor vai continuar na sua argumentação da superioridade de Cristo. Moisés tinha uma importância enorme para o povo hebreu. Eles o viam não apenas como legislador, como também como aquele que mediou diante de Deus no deserto.
Afirmar que Jesus é superior até mesmo a Moisés parecia uma agressão espiritual ao povo hebreu.
Dentro desta argumentação o autor traz como mensagem secundária algo que podemos compreender bem em nossos dias.  A fuga da incredulidade.
O autor usa a expressão “apóstolo” no seu sentido primário – enviado. Jesus é o enviado Deus para mediar ante a presença do Senhor.
O autor começa comparando a fidelidade de Jesus com a de Moisés. Em meio  a esta argumentação ele vai mostrando como se manter longe da incredulidade.
Vejamos:


1) Mantenha seus pensamentos em Cristo (v. 1)
Esta é uma das tônicas da carta aos hebreus. “Considerai” carrega a ideia de manter o pensamento em Cristo. Fixar o pensamento nele e viver desta forma.
Os hebreus viviam lembrando a cerca da lei de Moisés e de seu autor. Era algo sempre presente no coração dos hebreus. O autor pede aos cristãos-hebreus que considerem Jesus, que fixem seus pensamentos nele. Moisés era importante, mas Jesus é muito mais.
Hoje temos vivido um cristianismo capenga porque Jesus não é o centro de nossos pensamentos. Em nossa mente vivemos pensando no Pastor, Padre, Bispo, Apóstolos. Nossos lideres estão mais em evidência do que Jesus. Muitos, assim como Moisés, nem buscam isto, mas o povo, assim como os hebreus os exalta


2) Conserve a confiança e a esperança em Cristo (v. 6)
Um dos problemas dos hebreus era a confiança em um Messias vencedor sobre o império Romano. De um Messias que, assim como Moisés, guiasse o seu povo pelo deserto para a vitória.
Moisés conduziu um povo durante 40 anos por um deserto escaldante. Embora o povo vacilasse, Moisés continuou a sua jornada. Jesus hoje quer nos conduzir pelo deserto desta vida e nos guiar para uma Terra Prometida – o céu. Todavia, assim como aquele povo murmurava no deserto e a grande maioria não alcançou – somente uma nova geração, além de Josué e Calebe – hoje muitos apenas estão na Igreja, mas não alcançarão a Terra Prometida. Não alcançarão porque lhes falta confiança e esperança em Cristo.


3) Não ponha Deus à prova (v. 9)
O maior motivo da peregrinação por 40 anos do povo de Israel do deserto foi o fato deles tentarem a Deus. Eles não confiaram naquilo que Moisés havia prometido e assim sofreram no deserto por tanto tempo.
Hoje muitos cristãos não têm vivido uma vida cristã em abundância porque não confiam em Jesus. Não confiam que a obra da Cruz é suficiente. Acham que precisam de mais alguma coisa. Não basta o milagre da água viva jorrando em seus corações, precisam de algo mais para viver dentro do cristianismo.
Hoje quero lhe convidar a não viver provando a Deus. Ele já fez o suficiente por você, agora você precisa, assim como Josué e Calebe confiar e esperar em Deus sem pô-lo à prova.


4) Limpe seu coração (v. 10, 12)
Aquele povo foi levado para uma peregrinação de 40 anos quando poderiam ter sido gastos no máximo 6 meses. Tudo isto porque seus corações estavam ainda cheios das coisas do Egito.
Amados o Egito é o símbolo do pecado que o velho homem está sempre disposto a cometer. Todos nós somos vítimas dele, mas nosso advogado, Jesus, está sempre pronto a nos perdoar e nos purificar.
Para se ter uma jornada no tempo certo é preciso que tenhamos um coração limpo. Talvez você esteja vivendo um cristianismo cheio de dor e de dificuldade, tudo isto porque seu coração ainda não foi limpo.
Muitos querem se tornar cristãos, mas querem manter seus bezerros. Precisam manter o pecado vivo para que se anime dentro da própria Igreja.


5) Busque a comunhão da Igreja (v. 13)
O autor usa a expressão “exortai-vos mutuamente”. Há alguns dias eu disse em um estudo: “Não há cristianismo sem Igreja”. Muitas pessoas que tenho visitado gostam de me dizer que não têm vindo à Igreja, mas têm comunhão com Deus. Para se ter comunhão com Deus é preciso ter comunhão com o corpo dele neste mundo, a igreja. Jesus deixou a igreja com intuito de nos fazer crescer espiritualmente. E este crescimento é uma vida de mão dupla. Por isso que o autor diz: “exortai-vos mutuamente”.
Se você acha que pode manter comunhão com Deus, sem ter comunhão com o corpo de Cristo, você está em desobediência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário