segunda-feira, 27 de setembro de 2010

CUIDADO COM O CRISTIANISMO NOMINAL

Hb 10:26-39

O autor continua seu assunto mostrando que falhar na firmeza da fé é um pecado perigoso. Ele mostra que podemos estar longe da vontade de Deus e dos caminhos por Ele determinados.
Seguindo a descrição do autor, vamos dividir nossa exposição em duas partes. Na primeira mostraremos as características do Cristão nominal, na segunda a do cristão verdadeiro.

1.               Características do cristão nominal

a)     Vive deliberadamente no pecado (v. 26)
O verdadeiro cristão, mesmo quando peca luta em seu interior. Não é uma luta porque outros estão vendo o seu pecado, mas é uma luta por ele sabe que Deus está vendo o seu pecado.
O cristão nominal luta contra o pecado para não ser visto pelos outros. Para não ser pego bebendo ou em adultério. O cristão nominal não vive em batalha constante do Espírito contra a carne. A única batalha dele é pelo legalismo, pelo tradicionalismo ou simplesmente pelo zelo do seu nome.

b)    Rejeita a lei do Senhor (v. 28)
O salmo 1 afirma que o justo tem prazer na lei do Senhor. Ter prazer na lei do Senhor é procurar praticá-la e vivenciá-la. O cristão nominal só se interessa por aquilo que lhe traz algum benefício dentro da lei do Senhor. De um modo geral o cristão nominal está preocupado em mostrar que sabe, mas não está preocupado em vivenciar a Palavra de Deus de verdade.
O autor é claro em afirmar que o que rejeita a lei do Senhor é condenado diante do Mestre.

c)     Teve uma decisão aparente (v. 29)
A principal característica do cristão nominal é que sua decisão será aparente. O autor na realidade está fazendo uma pergunta que poderia ser refeita da seguinte forma: Será digno aquele que humilhou e rejeitou o sacrifício de Cristo e rejeitou a graça do Espírito?
Rejeita-se o sacrifício de Cristo e a graça do Espírito quando se vive de forma a buscar outros meios de salvação. Quando se pensa que ser bom é suficiente para a salvação e não busca a confiança na graça e no amor de Deus.

2.               Características do cristão verdadeiro

Ao mudar o tom do discurso o autor começa com a primeira pessoa. Isto é um testemunho da plena convicção de vida eterna que tinha o autor desta epístola. Antes de delinear os aspectos do cristão genuíno ele alerta aos nominais: “Horrenda coisa é cair na mão do Deus vivo.”

a)    Sustenta-se com lutas e sofrimentos (v.32)
O cristão verdadeiro sabe que neste mundo ele não está a passeio. Sabe que no mundo terá aflição e não vive se justificando diante dos sofrimentos. Enquanto o cristão nominal vive buscando meios de fugir do sofrimento, quer através de um testemunho frágil e débil, quer através de um misticismo barato que pensa que pode mandar em Deus.
Jó afirmou para sua esposa: “Recebeste o bem de Deus com prazer, mas o mau não queres tu aceitar.” O cristão nominal não aceita o mau porque tem uma visão distorcida de Deus e de si mesmo. De Deus porque de fato não conhece a Palavra. De si mesmo por que acha que tem algum mérito nesta vida.

b)    Espera por algo maior do que as coisas desta vida (v. 34)
O autor continua mostrando que o cristão verdadeiro vive no sofrimento pois tem uma esperança muito maior no futuro. O verbo usado para a expressão “ter ciência”, além do conhecimento denota a ideia de sentir. O verdadeiro cristão sente duas coisas antagônicas: a) Sente que o mundo ao seu redor não tem nada a lhe oferecer; b) Sente que algo maior está reservado para ele. O grupo Vencedores por Cristo transmitiu isto muito bem na música “Ao Sentir”.

c)     Aguarda com esperança a promessa vindoura (v.36, 37)
Além da certeza de algo maior que lhe aguarda, o cristão genuíno aguarda com esperança. O autor vai trabalhar isto no capítulo 11 de uma forma magistral. Mais uma vez o autor entra no âmbito escatológico. Mais uma vez ele mostra que Jesus vai voltar e não tardará.

d)    Sabe que pertence a Deus (v. 38)
A expressão “O meu justo” é a tradução literal do que Deus quis dizer a Habacuque (Hb 2:4). O cristão verdadeiro sabe que ele pertence unicamente a Deus e ele aguarda por estar na presença dEle.
A Bíblia diz que não podemos servir a dois senhores. Se você realmente pertence a deus deve entender isto. Pedro afirma que somos povo adquirido de propriedade exclusiva de Deus (I Pe 2:9).

e)     Sabe que a fé conserva a sua alma (v. 39)
O dueto fé e esperança vai fazer parte do próximo capítulo, e o autor parece preparar o caminho para o que ele quer falar.
O cristão genuíno caminha pela fé pois sabe que ela conserva a sua alma. Sabe que ela lhe mostra o caminho estreito para a salvação.


Nenhum comentário:

Postar um comentário