segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O VERDADEIRO CULTO A DEUS

Hebreus 9:1-14

O autor encerra sua argumentação no verso 13 do capítulo 8 mostrando que o novo pacto era muito superior ao primeiro. Agora ele passa a descrever os símbolos que estavam contidos no primeiro pacto.

Ele começa descrevendo algo que nossos adultos aprenderam na EBD – o tabernáculo. Nesta descrição aprendemos algumas lições preciosas sobre o verdadeiro culto a Deus.


1) O culto deve ser exercido de forma coletiva
O tabernáculo foi criado para que toda a congregação de Israel se reunisse. Muitos hoje afirmam que a forma correta de encontrar e cultuar a Deus são nos lares. Creio que as reuniões nos lares são muito importantes e a Bíblia nos orienta dessa forma. Sou extremamente favorável a pequenos grupos e não é a toa que apresentamos os NOEB´s. Todavia não podemos esquecer que o Tabernáculo e mais tarde o Templo de Jerusalém, foram criados para que em dado momento todos pudessem se reunir. Hoje não é diferente. Os santuários foram criados para que a congregação se reunisse (Hb 10:25).
Ninguém pode dizer que cultua a Deus individualmente. O próprio Senhor Jesus afirma que onde houver dois ou mais reunidos ele estará.
Ninguém pode dizer que congrega com sua família, porque o povo de Israel, com todas as doze tribos, se reunia no tabernáculo e mais tarde em Jerusalém para prestarem o verdadeiro culto a Deus.
Sua família não é a igreja, mas pode fazer parte dela.
Meu irmão você que tem faltado aos cultos coletivos que exemplo tem dado para seu filho? Você que tem trocado culto a Deus por lazer diversão ou mesmo por birra ou preguiça. Que exemplo tem dado para sua família?
O tabernáculo era o símbolo daquilo que hoje nós chamamos de culto coletivo. Ele é bíblico e deve ser vivido intensamente.

2) O culto não deve ser algo baseado no desejo do nosso coração (v. 1)

"Ora, a primeira aliança também tinha preceitos de serviço sagrado e o seu santuário terrestre."
 Ao estudarmos sobre o tabernáculo vemos que o modelo veio do coração de Deus.  Foi o próprio Deus que ordenou sua construção e apresentou seu projeto.
Muitos acreditam que como a antiga aliança foi ab-rogada não precisamos mais seguir estes preceitos. Muito pelo contrário. A lei, em seu sentido moral, não foi abolida, foi melhorada.
Não podemos prestar um culto de forma que achamos ser correta, antes devemos buscar um culto que mais se aproxima do coração de Deus. Claro que também não devemos prestar um culto com base em nossas tradições, mas devemos cultuar com base naquilo que a Palavra do Senhor nos direciona.

3) O culto a Deus deve ser uma entrega do nosso melhor (v. 4)

"...ao qual pertencia um altar de ouro para o incenso e a arca da aliança totalmente coberta de ouro, na qual estava uma urna de ouro contendo o maná, o bordão de Arão, que floresceu, e as tábuas da aliança" (grifo meu) 
O tabernáculo era feito dos melhores e mais caros materiais. Não quero dizer com isto que Deus deseja que nos sacrifiquemos para vir com roupas caríssimas, muito pelo contrário, devemos nos apresentar com o que temos desde que este seja o nosso melhor.
Isto significa que cada levita, seja o pastor, os músicos, a zeladora da igreja ou qualquer pessoa que trabalhe na casa de Deus, deve entregar o melhor de si. Muitos querem cantar mais não gostam de ensaiar. Muitos querem ensinar, mas não tem prazer na leitura da Palavra de Deus. Amados o culto a Deus deve ser feito com aquilo que temos de melhor.
Nenhum pastor que sobe ao púlpito pode pregar sem antes gastar tempo no preparo do sermão. Confiar que Deus vai revelar sua mensagem sempre é dizer em outras palavras que você tem preguiça de estudar.
Muitos querem os louros da fama, das tapinhas nas costas, mas não gostam de pagar o preço. Há músicos que querem tocar, mas não se esmeram na busca por conhecimento, e ainda esnobam aquilo que não têm.

4) O culto a Deus deve ter a Palavra de Deus como ápice (v. 4, 5)

"...e sobre ela, os querubins de glória, que, com a sua sombra, cobriam o propiciatório. Dessas coisas, todavia, não falaremos, agora, pormenorizadamente."
Esdras após acharem o livro perdido expôs juntamente com outros levitas diante de todo povo. Ficaram cerca de 4 horas expondo a Palavra ao coração do povo.
Hoje infelizmente muitos de nossos cultos (se é que assim podemos chamar) têm uma exposição constante de músicas, danças e apresentações artísticas, mas pouca exposição da Palavra de Deus.
Se você vem a Igreja para ouvir música, participar de movimentos artísticos, você vem pelo motivo errado. Três coisas devem impulsionar uma pessoa para a reunião coletiva:

a)    Adorar a Deus;

b)    Ouvir a exposição da Palavra;

c)     Exaltar Cristo sobre todas as coisas;

d)    Manter a comunhão com os demais irmãos.


5) O Culto a Deus deve ter Jesus em seu centro (v. 11-14)

O principal (embora não único) motivo para o Tabernáculo era apontar para o sacrifício de Jesus.
Jesus se entregou no santuário eterno, não feito por mãos humanas para que pudéssemos alcançar esse santuário. Para que um dia pudéssemos nos reunir ante a congregação dos justos para todo sempre.
Jesus tem que ser o centro de nosso culto. Nosso culto não pode ter como centro o pastor, os músicos ou até mesmo o próprio santuário, antes ele deve ter como centro aquele que veio para nos salvar e resgatar de todo mau, Jesus, o Messias.

a)    Jesus é o centro porque só ele é capaz de nos santificar (v. 13)

b)    Jesus é o centro porque só ele pode nos transformar (v.14)


Segundo J. C. Ryle quatro coisas ocorrem quando cultuamos de forma correta a Deus:
1)         Nosso coração e a nossa mente são afetados por Deus;
2)         Somos atraídos para uma íntima comunhão com Senhor;
3)         Nosso conhecimento sobre Deus aumenta;
4)         Nossa santidade de vida tende a aumentar a cada dia.

Se isto não tem ocorrido com você meu amado, repense sua adoração ou seu cristianismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário