segunda-feira, 14 de junho de 2010

A EXCELÊNCIA DO NOME DE CRISTO

Hebreus 1:5-14
A superioridade de Cristo será mostrada em comparação a uma série de coisas. Isto vai até o capítulo 3. O autor passa agora a demonstrar a superioridade de Cristo sobre uma das coisas que os judeus mais veneravam – os anjos.
O argumento do autor começa dentro de algo que é fundamental nos escritos tanto do AT quanto do NT: o nome de Jesus ou o nome do Senhor. Tanto no Antigo quanto no Novo Testamento esta expressão reflete autoridade.
Em Gênesis vemos a ideia da invocação. Quando o nome do Senhor iniciou a ser invocado. No restante do Pentateuco é destacado o respeito que devemos ter pelo “nome do Senhor”.

CRISTO - REVELAÇÃO FINAL DE DEUS

A primeira notícia que se tem da Epístola aos Hebreus data de 95 d.C., citada por Clemente de Roma em uma carta. A autoria do livro é muito discutida. Durante séculos especulou-se como sendo de Paulo (principalmente porque há manuscritos do segundo século afirmando isso), Barnabé, Áquila, Apolo, entre outros. Na realidade não se pode afirmar com exatidão nenhum destes. Particularmente creio que a possibilidade de Apolo é a maior de todas, embora não feche questão sobre o assunto.
Sabe-se que o escritor tinha um grande domínio do grego e um grande conhecimento da simbologia do Antigo Testamento. Era um amigo de Timóteo e parece ter uma íntima relação com este discípulo de Paulo.
Seu público alvo era judeus convertidos ao cristianismo há algum tempo. Porém, apesar de não serem neófitos, parece que estavam cometendo erros básicos dentro da doutrina cristã.