domingo, 12 de junho de 2011

A REALIDADE DO HOMEM DIANTE DE DEUS

Romanos 1:18-25

Paulo passa agora a mostrar que a humanidade não tem desculpa diante de Deus para seu pecado. Deus se revelou à humanidade de todas as maneiras. Sua ira sobre a humanidade é justa uma vez que esta por sua vez não colocou o criador no lugar que realmente ele tinha que estar.
Para compreender bem a realidade do homem diante de Deus devemos entender o que segue.


1.               A ira de Deus é uma realidade presente (v. 18)
A ira de Deus se manifestou do céu diante do pecado do homem. A humanidade se desviou dos caminhos do Senhor e em contrapartida recebeu como salário a morte que veio pela ira de Deus sobre todos.
Muitos só gostam de falar do Deus que é amor. O que falta realmente é o entendimento correto sobre o perfeito equilíbrio que há em todos atributos de Deus. Isto significa que na mesma intensidade que Deus nos ama, ele também odeia o pecado.
Quando falamos que Deus é apenas amor estamos dizendo que ele não é perfeito. A ira dele é uma realidade tanto quanto seu amor, sua justiça, sua santidade e todos os demais atributos divinos juntos. Tudo em Deus tem uma perfeito equilíbrio.

2.               A salvação é uma necessidade real para o homem (v.18, 19)
Uma vez que a ira de Deus é uma realidade presente, a salvação se torna uma necessidade real através do evangelho que é pregado.
É muito triste observar que a salvação não tem sido mais o assunto central dos nossos púlpitos. Que a auto ajuda e a análise comportamental tem sido o ponto central da pregação do evangelho. É triste saber que há pessoas que pensam que sua principal necessidade é uma cura, um carro, um imóvel ou emprego. Hoje Jesus quer transformar vidas para dar a vida eterna, e isto é o que de fato importa.

3.               Toda humanidade é indesculpável diante de Deus (v. 20)
O motivo pelo qual a salvação é uma necessidade real encontra-se no fato que toda a humanidade se torna indesculpável diante de Deus.
Paulo mostra que Deus através da natureza revelou seus atributos visíveis e invisíveis. Os primeiros compreendem que a criação é algo palpável para o homem. O universo com todo seu encanto, com seus bilhões e bilhões de estrelas, milhões de galáxias e trilhões de trilhões de planetas, são provas incontestáveis da existência de Deus. O salmista afirma que aquele que nega que Deus não existe é um louco (Sl 14 e 53). A Bíblia também diz que o Senhor forte e poderoso é nosso rei da Glória e que toda plenitude do universo pertence a ele (Sl 24).
O mais importante sobre isto que se deve saber é que a maior de todas as revelações de Deus foi a sua própria encarnação através de seu filho, Cristo Jesus. Ele é a maior revelação de Deus e é a manifestação completa de sua glória.

4.               A humanidade ignorou a glória de Deus (v. 21,22)
Tudo que Deus fez foi para louvor de sua glória, inclusive o homem. Todavia este ignorou a glória de Deus. A humanidade se deixou vencer pelos seus desejos e foi vencida pelo pecado. O pecado do homem o afastou de Deus.
Paulo usa dois grandes exemplos da queda do homem. A idolatria e promiscuidade sexual através do homossexualismo. A segunda trataremos no próximo sermão.
A idolatria reflete o desejo carnal do homem que Deus seja do seu jeito. A expressão “mudaram a glória de Deus” reflete este fato. O homem não quer que Deus seja Deus, antes quer que o Criador seja homem. Tenta-se rebaixar a divindade de Deus em todos os sentidos.
O cristianismo hoje tem sido como as religiões politeístas do passado. Ou mesmo aquelas animistas que tinham entre os povos primitivos. Cada um cria em Deus para satisfazer suas vontades e desejos.
A idolatria consiste exatamente nisto. Substituímos a glória de Deus pela de Maria, Pedro, Paulo ou até mesmo lideres religiosos. Fazemos isto pois eles satisfazem aos nossos caprichos pessoais.
Deus desejo que o adoremos. Ele deseja ser o primeiro em nossas vidas. Você não pode mais continuar ignorando a glória de Deus.

5.               Deus entregou o homem aos seus desejos (v. 24)
Quando ignoramos a glória de Deus somos entregues às nossas paixões. Esta entrega trouxe grandes consequências para a humanidade. Mas, apesar de ter entregado a humanidade à sua própria mercê e vontade, Deus não mudou o seu plano de salvação, o pecado não deixou de ser pecado e Deus nunca perdeu seu controle soberano sobre o mundo.
A Bíblia é muito clara em afirmar que o pecado é fruto de nossa própria carnalidade.
“... cada um é tentado, quando atraído e  engodado pela sua própria concupiscência.” (Tg 1:14 – grifo meu).
 O fato é que esta entrega faz com que fiquemos amarrados ao pecado. Não somos capazes mais de sair desta situação pelas nossas forças. Precisamos pedir ajudar. Precisamos clamar por socorro. Foi isso que o cego Bartimeu fez. Ele sabia que não tinha condições de sair da situação em que estava e por isso clamou: “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim.”
Hoje você tem a oportunidade de pedir socorro. De clamar a Deus e sair de sua situação de pecado e de desprezo da parte de Deus. Hoje o Senhor pode se reconciliar com você através de Cristo de Jesus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário