domingo, 31 de julho de 2011

A LEI DA JUSTIFICAÇÃO – PARTE 1


Romanos 3:21-31

“Antes, estabelecemos a lei”
Como vimos até aqui, Paulo mostra que os judeus achavam que tinham alcançado a justificação diante de Deus por causa da lei. Eles não conseguiam perceber que na realidade tinham dois problemas com a lei:
a)       Ela apontava para o pecado;
b)       Ninguém é capaz de cumprir a lei.

Deste ponto vemos que a humanidade encontra-se em uma situação difícil diante de Deus. Isto Paulo deixou claro nos versos 10 a 17. E agora no verso 23 ele reitera esta posição.
O verso 21 inicia com a expressão “E agora” ou “Mas agora”. Isto mostra claramente que a aliança estava mudando. Porém esta mudança já estava sendo anunciada pela própria Lei e os Profetas, ou seja, o nosso Antigo Testamento. A mudança fazia parte do plano de Deus. Muitos pregadores afirmam que Deus mudou seu plano. De forma alguma. Deus apenas estabeleceu um projeto de redenção para humanidade e este está se cumprindo. Afinal, Jesus veio na plenitude dos tempos, isto é, no tempo certo.
A lei que os judeus não conseguiram cumprir estava claramente lhes condenando. Paulo passa a mostrar que a nova lei seria a lei que apontaria para a justificação da Cruz. E é isto que vamos passar a analisar neste e no próximo sermão.

1.               A lei da justificação só pode ser compreendida à luz das Escrituras (v. 21)
"O testemunho da Lei e dos Profetas..."

Os judeus confiavam na salvação através do cumprimento da lei. Eles criam que através dos rituais e no cumprimento exteriorizado da lei seria suficiente.
Nos dias atuais existem grupos que acreditam que através de certos ritos vão alcançar a graça de Deus. Embora não declarem isto abertamente, suas vidas demonstram que a salvação é uma condição de vida e não um ato de Deus.
Ninguém pode dizer que compreende a salvação que não seja através da Palavra de Deus. É por isso que, dia após dia, aumenta o número de pessoas que acreditam que tem que lutar pela salvação. Isto significa que nossas igrejas estão cheias de pessoas que não compreendem a verdadeira salvação.
Meu amado, você só pode ser salvo mediante a compreensão que Jesus deve ser Salvador e Senhor de sua vida. Porém, esta compreensão só vem mediante a Palavra de Deus. O próprio Paulo vai deixar isto claro em Romanos 10:28: “A fé vem pelo ouvir, e ouvir pela Palavra de Deus.”.

2.               A lei da justificação alcança toda humanidade (v. 22, 29)
Outro problema que os judeus tinham era de achar que eram um povo especial diante de Deus e que os demais não passavam de meros coadjuvantes. Os gentios seriam apenas instrumentos de Deus para promover a ascensão do povo de Israel diante do seu Deus.
Israel falhou no cumprimento de proclamar a mensagem porque não conseguia ver a necessidade de outros povos. Porque achava que estava acima dos demais povos.
Hoje não é muito diferente. A igreja tem negligenciado esta realidade. A obra missionária tem sido deixada de lado. A pregação do evangelho não passa de interesses econômicos e financeiros de pastores, bispos, apóstolos, entre outros.
A lei da justificação veio para alcançar a todos. Ela veio para que todos pudessem ouvir a mensagem de fé e de esperança. A mensagem que transforma e dá uma nova vida.
Meu amigo, talvez você viva achando que Deus se esqueceu de você. Talvez você viva tanto para si mesmo que não consegue enxergar a obra redentora de Deus. Talvez você esteja tão acostumado com as migalhas que caem da mesa de Satanás que não consegue ver que Jesus morreu para você também. Jesus morreu por toda humanidade, isto inclui você e eu.

3.               A lei da justificação ocorre pela justiça que vem pela fé (v. 22, 27)
Paulo retorna ao tema central da epístola - a justificação pela fé. Como já falamos em sermões anteriores, Deus nos provê um meio de salvação – a graça. Esta por sua vez só pode ser alcançada através de um instrumento – a fé.
O mais justo que Deus poderia fazer era condenar toda humanidade. Mas, através da graça, ele provê a oportunidade de todo aquele que crê ser salvo através de Cristo Jesus. Não é uma salvação meritória. Nenhuma participação da obra da lei que os judeus tanto defendiam existe para salvação.
O mais interessante que aquilo que os judeus criam que era responsável pela sua salvação, era exatamente aquilo que apontava para sua condenação, ou seja, a lei. Talvez meu amado você ache que por ser bom, participar de trabalhos da igreja, entre outras coisas, você já tenha alcançado a salvação, mas de fato estas coisas podem ser exatamente aquilo que vai lhe condenar naquele dia (Mt 7:21-23).
Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele Dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E, em teu nome, não expulsamos demônios? E, em teu nome, não fizemos muitas maravilhas? E, então, lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. (grifo meu)
No texto em questão as pessoas são condenadas pelas suas práticas ocas. Aquilo que faziam não podia lhes justificar diante de Deus porque em seus corações não criam de verdade. Jesus está afirmando que aquilo que faziam era iniquidade diante de Deus. Jesus usa um termo grego que significa a condição daquele que não cumpre a lei basicamente por dois motivos: por não conhecer a Lei ou por transgredi-la deliberadamente, mas lembre-se que nenhum dos dois são justificáveis diante de Deus (Rm 2).

4.               A lei da justificação vem para nos restituir à glória de Deus (v. 23)
Um dos versos mais famosos da Bíblia. Mas ao mesmo tempo um dos versos que menos a humanidade parece crer. O versículo 23 pode ser visto de vários ângulos. Quero me deter apenas em dois:

a)    O pecado é universal

"Todos pecaram"

b)    A consequência do pecado também é universal;

"Todos ... estão destituídos da glória de Deus"
O tempo do verbo retrata a que a situação do homem é atual. “Estão destituídos”. A destituição não é algo que vai ocorrer. Não é para o futuro, mas é um questão presente. Sem Jesus você está destituído da glória. A teologia chama isto de morte espiritual. Sem Cristo estamos espiritualmente mortos. A Lei da Justificação veio para nos salvar e nos restituir a esta glória.
Quando aceitamos a lei da justificação em nossas vidas somos restituídos à glória de Deus. Paulo chama isto em sua segunda carta aos Coríntios de ministério da reconciliação.
E tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados, e pôs em nós a palavra da reconciliação. (II Co 5:18-19)
Quando aceitamos a Jesus somos feitos novas criaturas (II Co 5:17), ou seja, somos regenerados.
Hoje Deus quer se reconciliar com você. Ele tomou iniciativa a mais de 2000 anos atrás quando Jesus foi à cruz em seu lugar, em meu lugar. Hoje Deus quer regenerar você, mas para isto é essencial que você esteja em Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário