segunda-feira, 13 de setembro de 2010

RESULTADOS DO SANGUE DE CRISTO

Hebreus 9:11-28

Após descrever a questão do culto coletivo utilizando a simbologia do tabernáculo, o autor passa a demonstrar o aspecto perfeito do sacrifício de Cristo, sua abrangência e seu resultado.
Este trecho se prolonga até o capítulo 10:18. Na primeira parte são tratados resultados do sangue derramado de Cristo e na segunda a eficiência da única oferta. Todo este trecho trata das características da obra de Cristo.
O sangue de Cristo traz como resultados em nossos corações:


1) Remissão definitiva (v. 12, 22b)

“não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção”.(v. 12)
“...sem derramamento de sangue, não há remissão.” (v. 22b)

O autor insiste em algo que já descreveu em vários pontos da carta; o sacrifício de Jesus é definitivo. Não há necessidade mais de sacrifícios ou ofertas para a salvação.
Muitos cristãos hoje vivem sem certeza da salvação, Isto significa que não confiam na remissão definitiva. A expressão “uma vez por todas” não se refere apenas ao sacrifício único de Jesus, mas do sacrifício definitivo e único para cada um que o aceitar.
O sangue de Jesus nos redime uma vez para sempre

2) Purificação de nossa consciência através da transformação (v. 14, 22a)

“muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!”(v. 14)
“Com efeito, quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue” (v. 22a)

Estas expressões estão em perfeita consonância com que afirma Jesus a Nicodemos:
Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.  O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito. (Jo 3:5,6)

Também em perfeita harmonia com que afirma o apóstolo Paulo:
E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. (II Co 5:17)

Quando confiamos no sangue de Cristo derramado na Cruz temos nossa vida transformada pela obra regeneradora do Espírito Santo. Nascemos de novo e somos feitos novas criaturas.

3) Aniquilamento da obra do pecado (v. 26)

“Ora, neste caso, seria necessário que ele tivesse sofrido muitas vezes desde a fundação do mundo; agora, porém, ao se cumprirem os tempos, se manifestou uma vez por todas, para aniquilar, pelo sacrifício de si mesmo, o pecado.” (v. 26)

O pecado entrou no mundo trazendo sérias consequências. A principal, com certeza é a morte. Paulo afirma que o salário do pecado é morte (Rm 6:23), mas no mesmo contexto ele afirma que a dádiva de Deus é a vida eterna através de Cristo. Esta dádiva nos vem mediante o sacrifício eterno do sangue de Cristo.
O pecado nos separa de Deus. Jesus nos reconcilia com Deus (II Co 5:18). Através do sangue de Jesus a principal consequência do pecado nos é retirada, a morte eterna.
Claro que muitas das consequências ainda estamos sujeitos: sofrimentos, morte física, dor, entre outras. Mas hoje temos a presença de Deus.

4) Expectativa da esperança eterna (v. 28)

“assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação.” (v.28)

É interessante notar que o autor expressa “os que aguardam para salvação” e não “os que aguardam a salvação”. Na realidade a melhor tradução talvez fosse “aguardam até a salvação”.
Quando cremos no poder do sangue de |Cristo, também cremos automaticamente que ele vai voltar. Muitos afirmam que creem em Jesus, mas não em sua volta. Acreditam que tudo não passa de simbolismo. Ao crer assim estamos dizendo que obra de Cristo na cruz não se completará. Jesus virá, do mesmo modo que o vimos subir (At 1:11). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário