segunda-feira, 2 de abril de 2012

UM POEMA À GRANDEZA DE DEUS

Romanos 11:33-36

Após expor o grande mistério da eleição de Deus Paulo passa a exaltar a Deus pelo que Ele é. Isto é tremendo quando olhamos na Bíblia e vemos de Gênesis a Apocalipse através de tantos poemas como salmos, provérbios e profecias. Deus deve ser engrandecido por tudo que Ele é, pelo que representa e pelo que fez e faz. Com este poema Paulo parece dizer que não consegue entender os caminhos de Deus, mas mesmo assim os seguia com determinação e coragem, pois sabia que eram os melhores caminhos. O apóstolo sabia que os planos de Deus nunca falhariam e cabia a ele permanecer resignado ante a grandiosidade de Deus. Há uma música antiga, cantada pelo Ministério Koynonia, com o título “Continuar”, que a letra mostra isso:



Bem sei que tudo podes meu amado
Nenhum dos teus planos é frustrado
Ainda que com perdas e com dor
Eu sempre seguirei a ti Senhor.

Os teus caminhos posso não entender Senhor
Mas sei que tudo é visando o meu crescer
Se lutas e tribulações eu tenho que passar
Te peço forças pra continuar
Continuar a crer e a confiar
No grande amor que tens meu Pai por mim
O meu desejo eterno é te adorar
E aos teus pés me derramar sem fim.

Com certeza Paulo não conhecia esta letra, mas é certo que  Deus já falava algo deste tipo ao coração dele. Não foi à toa que ele escreveu: “Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada” (8:18). Ele falava desta forma, pois a incredulidade dos judeus existia porque sua fé era baseada em interpretações falsas da própria Palavra. Eles esperavam um messias que os livrasse do jugo romano, Deus prometia um Messias que os livraria do jugo do pecado. Hoje não tem sido diferente, muitos esperam um cristo que lhes dê prosperidade nesta vida, mas a Bíblia promete o Cristo que nos dará a prosperidade na vida eterna. Muitos esperam um jesus que cure suas doenças físicas e emocionais, mas a Palavra nos garante um Jesus que sara o pecado e limpa a iniquidade. Por isso não podemos questionar os caminhos do Senhor, pois algo melhor ele nos reserva. Por isso que nesta vida só podemos exaltar a Deus e ao seu Cristo. E este poema é uma adoração a este Deus que pode tudo e sempre fará cumprir os seus planos através de sua justiça, do seu amor e sua soberania.
Alguns acreditam que a carta de Paulo aos romanos se encerra aqui e que os demais capítulos foram inseridos depois. Particularmente não creio assim, mas nitidamente o apóstolo está encerrando uma parte. Tenho uma visão reformada, mas há algo no pensamento reformado que este texto me faz pensar. Normalmente pregadores reformados afirmam que toda pregação deve se referir a Cristo. Tenho grandes tendências de crer desta forma, mas faço um pequeno comentário. Toda pregação deve apresentar a trindade, e principalmente a Cristo. Creio que está e a ideia maior. O que vejo neste trecho é um tributo ao Deus Pai Todo-poderoso.

1.         A grandeza de Deus se manifesta em sua sabedoria e conhecimento (v. 33)

“33 Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!”

Paulo mostra que nós, meros seres humanos, não somos capazes de alcançar a sabedoria de Deus e o seu conhecimento. É algo tão profundo que nossa mente limitada jamais alcançaria. Isaias deixa isto muito claro:
“Porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos.” (Is 55:9)

O salmo 8 reflete a perplexidade do escritor:
“Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste” (v. 2)

É a perplexidade de alguém que sabe que é pequeno demais diante de Deus. Temos um Deus tremendo e majestoso e nós não passamos de bichinhos diante dEle (Is 41:14). Mas apesar de nossa pequenez, Ele nos ama com toda intensidade. É isto que Jesus deixa claro a Nicodemos no versículo mais famoso da Bíblia (Jo 3:16). Deus amou de tal maneira.
O homem tem se achado grande diante de Deus. A humanidade tem se achado cada vez maior. Mas, por mais que o homem cresça e desenvolva, nunca vai passar de uma poeira diante de Deus. Por maior que seja a humanidade ela nunca alcançará a perfeição de Deus e sua justiça.

2.         A grandeza de Deus se manifesta na perfeição de sua justiça (v. 33)


 "Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!”

As leis brasileiras são consideradas umas das mais completas do mundo. Muitos são as leis, artigos e regras que são expostos para o andamento da sociedade brasileira. Mas ainda assim somos também um dos países mais corruptos do mundo. Nossa corrupção começa no povo. Amamos o jeitinho. Gostamos de levar vantagem. Isto mostra a falibilidade e o quanto nossa justiça é falha. Mesmo com leis bem elaboradas, ainda há muita injustiça. São homens donos da verdade que julgam através de entendimento humano e buscam uma contextualização que agrade a seus corações.
A Bíblia nos mostra que a lei do Senhor é perfeita (Sl 19:7); que o caminho de Deus é perfeito (II Sm 22:31). Em Apocalipse 15:3 João afirma que os caminhos do Senhor são justos e verdadeiros. O salmista nos garante que o Senhor é justo em todos os seus caminhos (Sl 145:17).
Em tudo isto que expomos vemos a grandeza da justiça de Deus. Esta grandeza se refletirá definitivamente no grande dia. Quando o Senhor Jesus descer do céu com alarido e grande glória. Quando o Senhor sentar em seu trono e julgar a cada na medida da fé e conforme cada obra em seu coração. O salmo 24, em seu verso 3, o salmista pergunta: “Quem subirá ao monte do Senhor ou quem estará no seu lugar santo?”. Esta pergunta tem tudo haver com o julgamento. Ela pode ser assim parafraseada: “Quem estará de fato diante de Deus?”. No mesmo salmo vem a resposta no verso 4: “Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente. Este receberá a bênção do Senhor e a justiça do Deus da sua salvação”. Esta resposta do salmista parece esbarrar na verdade bíblica de que todos pecaram, mas, através de obra da cruz, somos justificados diante de Deus. Esta justificação limpa nossas mãos e purifica nosso coração. Somente quando Jesus de fato entra em nossos corações somos purificados e limpos diante de Deus. Hoje você tem a oportunidade de Jesus entrar em seu coração através da Palavra de Deus. Ainda que você não consiga entender todos os caminhos de Deus.

3.         A grandeza de Deus se manifesta na complexidade de seus caminhos (v. 34)


"Porque quem compreendeu o intento do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro?"


Uma das coisas que afirmava quando era ateu é que, se Deus existe ele é tão grande e majestoso que jamais o homem iria alcançar a mente de dEle. Eu ficava olhando na minha adolescência os deuses criados pelos cristãos. Era exatamente isto que eu via, deuses, cheios de caprichos e limitados à vontade humana. Depois que me converti descobri duas coisas importantes. A primeira que tinha razão sobre Deus, ele é tão grande que não é possível alcançar seus pensamentos. A segunda que ele nos oferece um caminho muito simples, a salvação através da cruz de Cristo.
É paradoxal, mas é ao mesmo tempo fantástico. Um Deus que em sua majestade se faz homem para restaurar a humanidade perdida pelo pecado da desobediência. Um Deus tão grande que não nos permite saber como ele cria a vida, afinal, por mais avançada que seja a ciência, sempre teremos um “Por que?” ou “Como?”. O limite da ciência nós não sabemos, mas sabemos que ela jamais vai alcançar os limites de Deus.
As leis que regem a natureza são perfeitas por si só. O caos instaurado no meio ambiente é fruto de uma única doença, o pecado. Ao errar o alvo estabelecido por Deus o homem trouxe desequilíbrio para toda humanidade e para toda natureza. Não foi Deus que deixou o mundo chegar aonde chegou, foi e tem sido o homem o principal responsável.
Mas Deus em sua grandiosidade promete uma nova terra, que será dada àqueles que aceitarem sua entrega, ou seja, a morte de Cristo na cruz. Ao morrer Jesus mostra a grande capacidade de Deus em nos perdoar e nos dar uma nova vida. Este talvez seja o caminho mais complexo de Deus, salvar-nos com um gesto tão simples.

4.         A grandeza de Deus se manifesta na plenitude de seu senhorio (v. 36)

"Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém!


Outra coisa que sempre afirmava em meu ateísmo é que se Deus existisse seria Senhor de todas as coisas. Não que fosse um deus cheio de caprichos como os deuses criados na antiguidade, mas seria um deus que não dependeria de ninguém nem de nada. Seria um ser que dominaria tudo e todos com seu poder e ninguém poderia desafiá-lo.
O que entristece é ver que o cristianismo de hoje pensa que está dando ordens a Deus. Os cristãos de hoje acham que podem determinar as coisas, que podem mandar em Deus como se Ele fosse um  fantoche ou um escravo. A Bíblia é muito clara em afirmar que “Do Senhor é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam” (Sl 24:1). Tudo pertence a Ele. Ele faz o que quer de qualquer coisa ou pessoa, pois tudo pertence a Ele. O refrão do hino 202 do Hinário para o Culto Cristão descreve muito bem isto:
Ele é dono da chuva, do sol e do ar,
é Senhor da alegria, da dor, do chorar;
ele é dono dos montes, do céu e do mar.
É Senhor das crianças, das preces, dos hinos;
ele é meu e também teu Senhor.

A letra deste hino retrata uma realidade, quer você aceite ou não, Deus continua sendo seu Senhor. A diferença é que se você aceitar o senhorio dele será capaz de limpar sua culpa do pecado e lhe dar uma vida eterna. Caso não o aceite, este mesmo senhorio irá banir aqueles que não o aceitarem como Senhor e Salvador de suas vidas. O que você prefere? Ser alvo deste senhorio aceitando-o, ou rejeitando-o? Deus hoje pode mudar a sua vida, permita que ele seja Senhor dela através da cruz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário