segunda-feira, 22 de outubro de 2012

A EXCELÊNCIA SUPREMA DO EVANGELHO

 Lucas 1:1-4


1 Tendo, pois, muitos empreendido pôr em ordem a narração dos fatos que entre nós se cumpriram,
2 segundo nos transmitiram os mesmos que os presenciaram desde o princípio e foram ministros da palavra,
3 pareceu-me também a mim conveniente descrevê-los a ti, ó excelentíssimo Teófilo, por sua ordem, havendo-me já informado minuciosamente de tudo desde o princípio,
4 para que conheças a certeza das coisas de que já estás informado.

Lucas escreveu seu evangelho provavelmente para os gregos. Isto é aceito principalmente por ele se preocupar em mostrar o lado sapiencial e humano de Cristo. Além disso, Lucas manteve a sequência de Marcos com uma fidelidade maior do que Mateus, tendo em vista que ambos utilizaram os escritos do sobrinho de Barnabé. Junto com o livro de Atos o evangelho parece formar uma unidade cujo ponto central é a ressurreição e ascensão de Cristo. Sendo que no evangelho são os preparativos e em Atos está o testemunho.
Se João tem as concepções teológicas mais profundas, Lucas por sua vez tem os detalhes históricos mais cristalinos. Sua introdução é a demonstração deste cuidado zeloso que teve o médico amado (Cl 4:14). Lucas teve ainda grande preocupação com arrependimento (5:31,32; 15:11-32; 18:9-14; 19:1-10). Mostrou o zelo de Jesus para com a caminhada dos salvos através da perseverança em meio ao sofrimento (9:23; 18:8; 21:19). Delineou acerca da volta de Cristo e da nossa expectativa (12:35-48; 17:22-37; 21:5-38). O valor da alegria de seguir a Cristo (1:14; 2:10; 10:17; 24:41,52). Enfatizou a necessidade de orarmos (11:1-13; 18:1-8). O terceiro evangelho também nos alerta sobre o perigo aos bens materiais ou as coisas desta vida (12:13-21). Também há neste evangelho um cuidado de mostrar o preço de seguir a Cristo (14:25-35).
Lucas foi o grande companheiro de Paulo até sua morte. Ele o acompanhava quando todos já o tinham abandonado (II Tm 4:11). Não sabemos muito sobre este valoroso cristão, mas é suficiente sabermos que foi alguém que amava a obra de Deus e tinha grande desejo de fazer o evangelho conhecido. Deste desejo aprendemos grandes lições da introdução deste livro que mostra a excelência suprema do evangelho de Cristo.

1.    O evangelho é o cumprimento da Palavra de Deus (v. 1)

“Tendo, pois, muitos empreendido pôr em ordem a narração dos fatos que entre nós se cumpriram”

A expressão que Lucas usa que é traduzida como “se cumpriram”, na versão Revista e Corrigida, ou “se realizaram”, na versão Revista e Atualizada, ela carrega em si mais do que simplesmente fatos que ocorrem. É uma expressão que transmite o preenchimento de algo que estava vazio.
As profecias haviam cessado já algum tempo. Havia séculos que nenhum profeta se manifestava de forma sobrenatural entre os judeus. Falsos mestres e legalistas neste meio tempo se levantam e fazem suas profecias e pregações com base em interpretações equivocadas das Escrituras. É neste tempo que Cristo vem ao mundo, na plenitude dos tempos (Gl 4:4). É o cumprimento da Palavra de Deus. Deus falara pelos profetas no passado e agora falará através de seu próprio filho (Hb 1:1).
A Palavra de Deus nunca falha. Embora muitos hoje, assim como naqueles dias, não creem, ainda assim ela não falhará. A pregação do evangelho é o próprio cumprimento da Palavra de Deus. É o cumprimento de tudo que Deus disse através de seus profetas desde o Antigo Testamento. Lucas mostra que o evangelho se cumpre em seus dias através do nascimento de Jesus, o filho de Deus.
Talvez você viva sem crer realmente nessa Palavra. Na Bíblia há dezenas de profecias que já se cumpriram, sendo a principal delas o nascimento de Cristo. Mas com certeza muitas ainda faltam se cumprir, sendo a principal delas o retorno final de Cristo. Saiba meu amado que Deus não deixará passar uma só letra de sua Palavra. Ele continuará mostrando através de homens comuns o verdadeiro evangelho.

2.    O evangelho foi anunciado por homens como nós (v. 2)

“segundo nos transmitiram os mesmos que os presenciaram desde o princípio e foram ministros da palavra”

Crê-se hoje que Lucas usou o evangelho de Marcos para escrever o seu, mas ele mesmo diz que se baseava em transmissões feitas por diversas pessoas. J. C. Ryle destaca que Lucas não entrou no mérito sobre nomes e honras aos homens que antes pregaram ou ensinaram o evangelho. Há muitos textos em Lucas que não encontramos em Mateus e Marcos ou em um dos dois.
Paulo deixa claro aos Romanos que a fé vem pelo ouvir da Pregação (Rm 10:17). Ninguém pode dizer que se tornou um cristão sem ser exposto à mensagem da cruz. Somente através da pregação da Palavra de Deus que podemos realmente dizer que estamos expostos à verdadeira mensagem.
O evangelho na época de Lucas foi pregado por pessoas comuns pelas vias romanas. Faziam isto enquanto mantinham seu trabalho cotidiano de viagens e vendas de suas mercadorias. Eram homens e mulheres comuns, como qualquer um de nós. O anúncio do Evangelho não tinha como base o púlpito, mas o coração e o amor dos salvos para com Deus e os perdidos. O próprio Lucas não pregava no púlpito, mas nitidamente ele nunca deixou de pregar a Palavra de Deus.
Estas pessoas as quais Lucas se refere lhe ensinaram o evangelho que ele agora passa a narrar com tanta exatidão. O zelo de Lucas mostra sua preocupação para que nada fique fora do lugar. Deus usa este homem para que o evangelho chegue a nós.
Muitos estão deixando de transmitir o evangelho porque estão delegando aos pastores e lideres as suas responsabilidades. Deus chama a seu povo para anunciar o evangelho (I Pe 2:9). Deus chama a cada um que diz que foi alcançado para levar o evangelho ao coração das pessoas não alcançadas. Mas precisamos saber que o evangelho é mais do que um simples “Jesus te ama” ou de uma oração de entrega. Ele deve ser expresso com detalhes.

3.    O evangelho deve ser expresso com minúcias (v. 3)

“pareceu-me também a mim conveniente descrevê-los a ti, ó excelentíssimo Teófilo, por sua ordem, havendo-me já informado minuciosamente de tudo desde o princípio”

Lucas descreve que pesquisou muito antes de escrever. Ele não queria declarar qualquer coisa. Muitos hoje confiam que Deus vai revelar e por isso não precisam estudar ou pesquisar. Lucas afirma que se informou minuciosamente.
Muitos não conseguem entender o que se prega, mas é porque não procuram mais e mais conhecimento. São pessoas analfabetas de Bíblia e consequentemente de Deus. No mundo há uma expressão técnica para aquela pessoa que sabe somente ler, mas não consegue entender o que lê: analfabetismo funcional. Na igreja nós estamos cheios de analfabetos espirituais. São pessoas que não gostam de ir além da vida de Cristo, seus milagres e curas, e de vez em quando sua crucificação e os salmos de alento. São pessoas que se contentam com migalhas e não buscam o banquete.
O evangelho não pode ser transmitido de qualquer jeito. No verso 1 Lucas diz que procurou “Por em ordem”. Não podemos achar que se falarmos para a pessoa aceitar a Jesus e se esta levantar uma de suas mãos, isto será suficiente.
Meu amado, o evangelho precisa estar claro em seu coração através da consciência de sua situação diante de Deus (Rm 3:23 Is 59:1); através de você saber da obra que Deus fez através da cruz (Rm 5:8); e do resultado que isto pode trazer para sua vida (Rm 6:23). Mais do que isto, evangelho deve produzir certeza em seu coração.

4.    O evangelho deve produzir certeza em nosso coração (v. 4)

“para que conheças a certeza das coisas de que já estás informado”

Teófilo já conhecia a mensagem do evangelho. Lucas deixa isto claro quando afirma “das coisas de que já estás informado”. Mas o médico amado não queria apenas que Teófilo conhecesse tecnicamente o evangelho. O companheiro de Paulo queria que seu amigo fosse impactado pelo evangelho; não apenas um impacto emocional ou sentimental. Não um impacto que gerasse um momento de alegria, não, Lucas queria que em Teófilo fosse gerada uma certeza.
Esta certeza deveria produzir alguns resultados no coração de Teófilo. Resultados estes que lhe dariam esperança e paz para todo sempre. Lucas tinha o desejo que Teófilo tivesse uma experiência pessoal com o Cristo que lhe salvara. Parece que isto deu resultado. Quando Lucas escreve Atos, alguns anos depois do evangelho, ele deixa de lado a formalidade e chama Teófilo apenas pelo nome. A expressão “excelentíssimo” deixa existir porque Teófilo passou da condição de amigo para irmão em Cristo. Era forma que a igreja primitiva trabalhava. Quando alguém passava a fazer parte da igreja não era mais excelentíssimo, mas o irmão. É bem provável que Teófilo tenha sido transformado pela obra de Cristo. É quase certo que este homem proeminente e poderoso tenha adquirido a certeza das coisas que já conhecia.
Meu amado, Lucas apresenta um evangelho minucioso para que Teófilo pudesse ser transformado e adquirisse a certeza da obra de Cristo para sua vida. Hoje eu desejo a mesma coisa a você. Através da mensagem do evangelho você pode ser transformado assim como Teófilo foi.
Para entender o evangelho você precisa olhar sempre dentro de si mesmo e vê sua real situação diante de Deus: você é um pecador. Você precisa compreender que nada há que você possa fazer para adquirir a salvação, somente pela obra regeneradora de Cristo em sua vida. Você precisa então aceitar que Jesus veio a este mundo para morrer no seu lugar e segui-lo como Senhor de sua vida. Faça isto agora e deixe Jesus mudar o seu coração.


Nenhum comentário:

Postar um comentário