segunda-feira, 29 de outubro de 2012

UMA FAMÍLIA AOS PÉS DO SENHOR

Lucas 1:5-12

5 Existiu, no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote, chamado Zacarias, da ordem de Abias, e cuja mulher era das filhas de Arão; o nome dela era  Isabel.
6 E eram ambos justos perante Deus, vivendo irrepreensivelmente em todos os mandamentos e preceitos do Senhor.
7 E não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e ambos eram avançados em idade.
8 E aconteceu que, exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem da sua turma,
9 segundo o costume sacerdotal, coube-lhe em sorte entrar no templo do Senhor para oferecer o incenso.
10 E toda a multidão do povo estava fora, orando, à hora do incenso.
11 Então, um anjo do Senhor lhe apareceu, posto em pé, à direita do altar do incenso.
12 E Zacarias, vendo-o, turbou-se, e caiu temor sobre ele.

Antes de Jesus nascer era necessário que nascesse o seu predecessor, aquele que iria preparar o terreno para a chegada do Messias prometido. João Batista seria a voz a clamar no deserto (Is 40:3, Jo 1:23). Ele seria a promessa do retorno das Palavras de Elias (Ml 4:5).  Aqui vale uma nota. Em nenhum lugar das Escrituras há base para se afirmar que João Batista é a reencarnação de Elias. Até porque para que haja reencarnação é necessário que haja morte, o que não foi o caso de Elias. Sem falar que a Bíblia é muito clara em afirmar que depois da morte só nos resta o juízo (Hb 9:27).
No texto em questão vemos que esta família tinha algumas qualidades especiais. Zacarias, o cabeça do lar, era um sacerdote fiel ao Senhor e temente a Deus. Isabel era colocada no mesmo nível espiritual que seu esposo. É uma pena que hoje muitos lares não têm vivido desta forma. É lamentável que muitos casais enquanto um busca a presença de Deus o outro fica entretido com coisas desta vida. Enquanto um opta por cuidar de sua vida espiritual, o outro se preocupa com seus prazeres terreais. Zacarias e Isabel eram ambos no mesmo nível espiritual. Como é importante para o equilíbrio de um lar que ambos busquem a presença de Deus. Que ambos tenham um compromisso fiel com o Senhor.
Zacarias servia no oitavo turno dos sacerdotes (II Cr 24), era o turno de Abias. Ele estava diante de Deus em seu serviço sacerdotal quando o Senhor lhe falou. A princípio não acreditou e foi punido com a mudez até o nascimento de seu filho. Com Zacarias e Isabel nós aprendemos algumas lições importantes como família e servos de Deus.

1.    Vive de forma irrepreensível (v. 6)

“E eram ambos justos perante Deus, vivendo irrepreensivelmente em todos os mandamentos e preceitos do Senhor.”

Há algumas semanas atrás vimos uma reportagem onde um casal saía para roubar carros e usavam seus filhos, incluindo um bebê, para realizar os furtos. São criança já manchadas pela desonestidade e pela falta de compromisso social e espiritual de seus pais.
Zacarias e Isabel viviam de uma forma irrepreensível diante de Deus. Lucas deixa isto muito claro. Com certeza isto implicava em uma vida de retidão moral e espiritual. Era uma família preparada para repassar valores para aquele que seria o maior dos nascidos de mulher (Lc 7:28). Deus escolhe esta família porque ela tinha princípios bem estabelecidos. Ela tinha um sentido moral aguçado e preparado para fazer a obra de Deus.
Meu amado ou minha amada, como está sua vida diante do Senhor? Como você está se apresentando como pai ou como mãe diante de Deus? Será que seus filhos podem ver um exemplo de irrepreensibilidade em sua vida?
Para realmente estarmos aos pés do Senhor temos que procurar viver de forma irrepreensível aos olhos de Deus e não aos nossos próprios olhos. Jó foi um exemplo maravilhoso disto. Foi o próprio Deus quem mostrou a retidão de Jó para o Diabo. Como Deus olha para você neste momento? Como está sua vida diante de Deus?
Outro ponto interessante é que Lucas diz que “ambos eram justos”. Uma família só pode ser totalmente equilibrada espiritualmente se ambos viverem de uma forma justa. Muitos lares não conseguem ser de fato equilibrados porque somente um dos lados está buscando a presença de Deus. Se quisermos lares equilibrados, precisamos de casais onde ambos busquem estar na presença de Deus irrepreensivelmente.

2.    Não se abate com as dificuldades da vida (v. 7)

“E não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e ambos eram avançados em idade.”

O casal já era avançado em idade. Além disso, Isabel era estéril. Mas pela forma como o texto apresenta isto não abatia sua vida espiritual. Isso não os impedia de se manterem aos pés do Senhor.
Muitos se afastam de Deus e de sua presença quando as coisas não ocorrem do jeito que querem. A primeira coisa que se faz quando algo não vai bem é se afastar do Senhor. Primeiro abandona a igreja, este é o primeiro sintoma. Depois deixa de ler a Bíblia. E por último nem ora mais, quando muito faz aquela oração de agradecimento pela refeição, e olhe lá. O interessante de tudo isto é que só prova que de fato não está na presença de Deus e que com grande probabilidade nunca esteve. Só prova que não está aos pés do Senhor.
Hoje há muitos que qualquer motivo é motivo para não buscar a presença de Deus. O salmista afirma que ainda que andasse pela vale da sombra a morte não temeria mal algum exatamente pela presença de Deus em sua vida. As dificuldades da vida não devem ser motivos para nos afastarem de Deus porque esta vida nossa é passageira e transitória. Temos algo muito maior prometido para nós.
Zacarias e Isabel se mantinham aos pés do Senhor. Fico a imaginar quantas vezes foram alvos de escárnios e de deboches. Quantas vezes Zacarias não foi zombada ou mesmo colocada em dúvida sua masculinidade. Quantas vezes Isabel não foi alvo de fofocas e maledicências. Quantas vezes não foi colocada à prova sua própria espiritualidade. Mas ainda assim, permaneceram firmes aos pés do Senhor.
Hoje quero desafiar você a viver da forma que este casal viveu. De não se deixar abater mais pelos problemas desta vida e se manter fiel ao Senhor.

3.    Leva uma vida piedosa diante de Deus (v. 8, 9)

“E aconteceu que, exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem da sua turma, segundo o costume sacerdotal, coube-lhe em sorte entrar no templo do Senhor  para oferecer o incenso.”

No salmo 73 Asafe  estava reclamando da vida e do progresso dos ímpios. De repente, no verso 17 ele afirma: “até que entrei no santuário de Deus”. Zacarias e Isabel mantinham uma vida piedosa regular. Ele cumpria fielmente seu ministério diante de Deus. Frequentavam assiduamente suas reuniões e buscavam a presença de Deus.
Falamos no ponto anterior que muitos se afastam de Deus e de sua presença por causa dos problemas desta vida. Mas há aqueles que não fazem questão de levar uma vida piedosa. Não fazem questão de estar na presença de Deus junto com outros. Muitos trocam a comunhão do culto da semana por uma novela ou filme. Outros tem trocado a Escola Bíblica por lazer ou diversão.
Muitos pais querem que seus filhos estejam na igreja, mesmo que não seja por motivos espirituais, mas eles mesmos não dão exemplos de vida piedosa para seus filhos. Para que possamos ter lares onde o reino de Deus impere é necessário que haja comunhão dentro do lar e da igreja de Cristo.
Meu amado e minha amada você pode estar distante da verdadeira comunhão com o Senhor se não leva uma vida piedosa. Uma vida que busca a presença de Deus nas reuniões regulares de sua igreja. Quando você troca tudo isto pelo seu bem estar pessoal você apenas está mostrando que não está aos pés do Senhor.

4.    Reconhece sua situação diante de Deus (v. 12)

“E Zacarias, vendo-o, turbou-se, e caiu temor sobre ele.”

A expressão temor denota o sentimento do verdadeiro servo de Deus diante da grandeza de seres celestiais. É uma lembrança do pecado que ainda habita dentro de cada um de nós. J. C. Ryle afirma que a única maneira de se explicar este temor está na lembrança que surge em nosso interior de nossa fraqueza, culpa e corrupção.
A Bíblia é cheia de exemplos de pessoas que sentiram algo semelhante. Moisés diante da sarça ardente; Daniel diante do rio Tigre; Paulo a caminho de Damasco; João na ilha de Patmos; entre outros. A ideia de Ryle é muito interessante; se os anjos são tão majestosos, como será o Senhor deles?
Hoje cultuamos a Deus de uma forma prepotente e desprovida do verdadeiro temor. Achamos que podemos nos aproximar de qualquer jeito, como se estivéssemos nos aproximando do “cara lá de cima”.
Meu amado, e minha amada, o Senhor não é o “cara lá de cima”. Expressões como estas só mostram a nossa falta de temor e principalmente a falta de reconhecimento do pecado que habita em cada um de nós.
O primeiro passo para nos aproximarmos de Deus é reconhecermos a nossa situação diante de Deus. Depois disso precisamos saber que não temos como nos aproximar dele sem um mediador. Em seguida devemos saber que Ele nos deu somente um mediador entre nós e Ele.
Olhando para o sacrifício de Cristo podemos nos aproximar de Deus, mas ainda assim deve haver temor e tremor em nossos corações. Sem falar que devemos tremer diante do sofrimento que recairá sobre aqueles que não se curvarem diante de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário