segunda-feira, 5 de novembro de 2012

O IMENSO AMOR DE DEUS PARA COM SEU POVO

Oséias 3:1-5

O movimento do capítulo 3 é um pouco diferente dos anteriores. Antes Deus mostrava o pecado e logo em seguida declarava o resgate que faria do seu povo. Agora ele chama Oséias para fazer dele mais uma vez uma figura. Oséias terá que mostrar o amor de Deus pelo seu povo pecador através do amor incondicional pela sua esposa que ainda permanecia na prostituição.
A expressão usada para “amada de seu amigo” ficaria melhor traduzida como “amada de outro”.  Todavia nenhuma tradução altera o sentido aqui representado. Oséias deveria continuar amando sua esposa, independente do que ela tinha feito. Ele tinha direito ao divórcio (Dt 24:1), mas Deus o conclama a buscar a sua esposa do jeito que ela estava e amá-la.
O amor de Oséias tipifica o imenso amor de Deus pelo seu povo e nos traz algumas lições que quero compartilhar neste momento.

1.    Deus continua nos amando, mesmo quando estamos longe dele (v. 1)

“... como o Senhor ama os filhos de Israel...”

Mesmo depois da repreensão de seus filhos e das promessas feitas parece que Gômer continua na mesma situação. O Pr. Hernandes Dias Lopes afirma: “Ele não nos ama por causa das nossas virtudes, mas apesar de nossos pecados; ele não nos busca por causa de nossos méritos, mas apesar de nossos deméritos”. Isto faz do amor de Deus completamente incompreensível. É exatamente isso que faz com que a beleza do hino 377 do Cantos Cristão aumente ainda mais quando diz em sua primeira estrofe:
Não seu por que de Deus o amor a mim se revelou
Não sei por que razão o Salvador pra si me resgatou

O amor de Deus é majestoso e tremendo e não leva em conta o tempo de nossa ignorância. Mas este amor custou um preço alto para Deus.

2.    Deus paga o preço pelo resgate de seu povo (v. 2)

“Comprei-a, pois, para mim por quinze peças de prata e um ômer e meio de cevada”

Oséias paga um valor altíssimo. Além de tirar sua esposa da prostituição, ele paga um valor muito mais alto do que o valor de uma prostituta ou de uma escrava. Este amor de Oséias aponta para o grande amor de Deus por nós.
Que preço tremendo Jesus pagou por nós na cruz. Ele nos amou pagando o preço, apesar de nossos pecados (Rm 5:8).  Ele foi para a cruz para nos resgatar através de um amor que não temos como pagar. Gômer não teria nunca como pagar o preço que Oséias pagou por ela. Nós também nunca teremos como pagar tudo que Cristo fez por nós. O que nos resta é nos submetermos ao seu senhorio, por amor, para que possamos gozar de sua presença para sempre.

3.    Deus santifica e disciplina o seu povo por amor (v 3, 4).

“e lhe disse: Tu ficarás comigo muitos dias; não te prostituirás, nem serás de outro homem; assim quero eu ser também para ti. Porque os filhos de Israel  ficarão por muitos dias sem rei, e sem príncipe, e sem sacrifício, e sem estátua, e sem éfode ou terafins.”

Após resgatar sua esposa Oséias teria que tratar dela e corrigi-la. Deus não nos abandona quando nos resgata. Ele cuida de seu povo como muito zelo. Isto implica em um tratamento para nos santificar e disciplinar quando ainda caímos.
O preço que Gômer pagaria por tudo isto seria não poder se deitar nem com seu marido. Nossa santificação exige sacrifício de nossa carnalidade e de nossos desejos. Muitas vezes não mostramos que somos resgatados por Deus exatamente porque não estamos dispostos a pagar o preço de seguir a Cristo. Gômer estava sendo desafiada a largar aquilo que mais lhe dava prazer, o sexo, mesmo que fosse com seu esposo.
Muitas vezes Deus nos pede para que abramos mãos de coisas que gostamos para que possamos mostrar nosso verdadeiro amor por ele ou para mostrarmos que aceitamos o seu preço. Tudo isto porque este ato de Deus nos transforma e restaura.

4.    Deus transforma seu povo e o restaura (v. 5)

“Depois, tornarão os filhos de Israel e buscarão o Senhor, seu Deus, e Davi, seu rei; e temerão o Senhor e a sua bondade, no fim dos dias.”

O grande resultado do pagamento feito por Deus através de seu próprio sacrifício é que o seu povo será transformado e restaurado à sua presença. O salário do pecado é a morte, mas através do pagamento feito por Jesus, através de seu sangue, ganhamos o grande presente que é a vida eterna (Rm 6:23).
Deus restaura o seu povo para que este possa busca-lo e adorar a Jesus. Jesus é representado no texto em questão por Davi. O reino de Cristo é representado pelo maior rei de Israel. Davi aponta Cristo para que todo aquele que nele não pereça mais tenha a vida eterna (Jo 3:15, 16).
Depois de tudo isto o povo de Deus poderá experimentar a bondade de Deus para todo sempre. Esse mesmo povo poderá experimentar a presença de Deus e saber que ele foi, é e será bondoso a amoroso, independente de nossas falhas que foram todas perdoadas na cruz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário