quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

ACUSAÇÕES CONTRA O POVO DE DEUS E OS SACERDOTES

Oséias 4:1-10

O profeta abandona a cena em que estava se deliciando com o resgate do povo de Deus para voltar a acusar Israel. Sua acusação agora vai atacar os sacerdotes e profetas. Mas ele não vai deixar de acusar o povo pela sua falta de conhecimento. Seus versículos duros, onde Deus não deixa de mostrar toda sua indignação com o povo, e principalmente os sacerdotes, que não buscam conhecer o Deus que tanto os ama.
Três acusações primárias podem ser vistas no verso 1:

1)    Falta de verdade

2)    Falta de amor

3)    Falta de conhecimento de Deus



Estes três aspectos vão permear os discursos de Oseias nos próximos capítulos, sendo que o terceiro terá um destaque a mais. Mas aqui queremos destacar algumas outras acusações que estão inseridas neste discurso.

        

1. O pecado afeta a natureza (v. 3)

“Por isso, a terra se lamentará, e qualquer que morar nela desfalecerá com os animais do campo e com as aves do céu; e até os peixes do mar serão tirados.”

Em Gênesis encontramos uma declaração que nos faz pensar. Após o pecado Deus vai sentenciar e sua frase a Adão é muito forte: “...maldita é a terra por tua causa...” (Gn 3:17). O pecado do homem trouxe maldição sobre a natureza. Tudo havia sido colocado para o cuidado homem, mas o pecado deste destruiu a natureza. Na carta aos Romanos Paulo afirma que a natureza aguarda pela manifestação dos filhos de Deus (Rm 8:22). 
Agora em Oséias vemos algo semelhante. A natureza lamenta pelo pecado do povo de Deus. Tal lamento iria trazer para o povo de Israel sofrimento e fome.
A humanidade tem colhido o que tem plantado. O maior movimento ecológico que podemos fazer é deixar de pecar e se purificar com o arrependimento. A humanidade tenta buscar paliativos para o seu pecado, mas não consegue. É a camisinha para evitar a AIDS. São as campanhas ecológicas para salvar a natureza. A melhor maneira de evitar tudo isto é se purificando diante de Deus.

2. Os sacerdotes são os principais responsáveis pela decadência do povo (v. 6)

“O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos. “

Oséias agora mostra algo que deve nos preocupar. Ele afirma que o povo não tem conhecimento por culpa dos sacerdotes. Eles passaram a pregar aquilo que o povo queria ouvir. Aquilo que agradava o ouvido do povo e enchia seus bolsos.
Hoje vemos algo muito semelhante. Os pastores e lideres estão se enriquecendo enquanto não ensinam a Palavra de Deus de verdade. Muitos falam apenas aquilo que vai manter suas igrejas cheias. Muitos preferem pregar para afagar a alma de seus ouvintes, do que realmente expor o conhecimento de Deus diante deles.
Deus rejeita este tipo de líder. O Senhor não aceita que sua Palavra seja deturpada, nem tão pouco que falte conhecimento do seu povo. E o próprio Deus afirma que vai disciplinar estes lideres.
Não são as curas que importam. Não é a prosperidade material a coisa mais importante; nem as mensagens de autoajuda para levantar autoestima, mas é a pregação da Palavra de Deus que transforma o homem.

3. O pecado gera uma falsa religiosidade (v. 12)

“O meu povo consulta a sua madeira, e a sua vara lhe responde, porque o espírito de luxúria os engana, e eles se corrompem, apartando-se da sujeição do seu Deus.”

Com a falta de conhecimento o povo passa a pecar mais ainda. Este pecado leva-os a um engano ainda maior. O espírito de luxúria é a ideia da promiscuidade aumentando no meio do povo de Deus.
Hoje não tem sido diferente. Artistas dizem que se convertem, mas fazem filmes pornográficos, outros fazem programas que incitam a sensualidade e a promiscuidade. Igrejas que afirmam que gays podem ficar como estão. Tudo isto é fruto do pecado no meio do povo de Deus.
Igrejas que pregam que a pessoa pode ficar como está diante de Deus só mostram o quanto estão longe da vontade do Senhor. É o espírito de luxúria enganando o povo. Este espírito faz com que não haja mais sujeição a Deus.
Quando alguém aceita a Cristo algo precisa mudar. Ninguém que tem um real encontro com Deus permanece do mesmo jeito. Paulo deixa isto claro:
“Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus. E é o que alguns têm sido, mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus e pelo Espírito do nosso Deus.”


4. Deus abandona o povo em seu pecado (v. 14)

 “Eu não castigarei vossas filhas, que se prostituem, nem vossas noras, quando adulteram; porque eles mesmos com as prostitutas se desviam e com as meretrizes sacrificam, pois o povo que não tem entendimento será transtornado.”

Finalmente, Oséias mostra Deus derramando sua ira de forma diferente. Da mesma maneira que Paulo mostra em sua carta aos romanos que Deus abandona aqueles que se entregam à homossexualidade e à idolatria (Rm 1:24, 26).
Muitos afirmam que o Deus do Novo Testamento é diferente daquele que é apresentado no Antigo, de forma alguma. Deus mostra sua ira abandonando os pecadores à sua própria concupiscência. Ao dizer que não vai castigar as filhas dos sacerdotes que se prostituem Deus está dizendo a mesma coisa.
O pior castigo que pode cair sobre alguém é ser abandonado por Deus. Deus abomina o pecado e não terá como inocentes aqueles que não se arrependem e que vivem em seus próprios  caminhos.
Creio firmemente que o aumento da desonestidade, da corrupção do mundo, entre tantas coisas, são consequências da ira de Deus derramada sobre a humanidade pecadora. As igrejas que mais crescem são aquelas que estão mais longe da Palavra de Deus, isto não é sinal de avivamento, mas de disciplina divina. Ele abandona para castigar e preparar para o fim.
-->

Nenhum comentário:

Postar um comentário