terça-feira, 11 de dezembro de 2012

UM LOUVOR PELA GRAÇA – PARTE 2

O reconhecimento da majestade de Deus

Lucas 1:46-55

46 Disse, então, Maria: A minha alma engrandece ao Senhor,
47 e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador,
48 porque atentou na humildade de sua serva; pois eis que, desde agora, todas as gerações me chamarão bem-aventurada.
49 Porque me fez grandes coisas o Poderoso; e Santo é o seu nome.
50 E a sua misericórdia é de geração em geração sobre os que o temem.
51 Com o seu braço, agiu valorosamente, dissipou os soberbos no pensamento de seu coração,
52 depôs dos tronos os poderosos e elevou os humildes;
53 encheu de bens os famintos, despediu vazios os ricos,
54 e auxiliou a Israel, seu servo, recordando-se da sua misericórdia.
55 (como falou a nossos pais) para com Abraão e sua posteridade, para sempre.

Na primeira parte deste sermão vimos como Maria se coloca diante de Deus. Ela o engrandece e se coloca como uma serva humilde. Nitidamente nota-se que Maria não tem nenhum atributo a mais do que qualquer outro ser humano tenha.
Agora, no mesmo cântico, Maria passa a enaltecer ainda mais a Deus. Através de Maria aprendemos que devemos:

1. Mostrar a obra de Deus em nossa vida (v. 49)

“Porque me fez grandes coisas o Poderoso; e Santo é o seu nome.”

Maria está exaltando a obra de Deus pela sua gravidez sobrenatural. Mas o fato é que todos nós temos que agradecer pelo que Deus faz em nossa vida. Somos alvos constantes da misericórdia. A Bíblia afirma que todas as manhãs ela se renova (Lm 3:22, 23).
Muitas pessoas hoje afirmam louvar a Deus pelas suas obras em suas curas, libertações ou bênçãos materiais alcançadas, mas na realidade nitidamente tais pessoas estão agradecendo ao pastor, bispo, ou a igreja tal ou tal. Isto é muito triste. Vivemos dias onde tudo está centrado na pessoa, quando tudo deveria estar centrado em Deus. Maria louva a Deus pela sua obra, mas ela sabe que tudo que Deus fez foi e é para glória dele mesmo.
Outro ponto importante aqui é que a maior obra de Deus em nossas vidas é a nossa transformação. O que se chama hoje de testemunho não passa de promoção pessoal ou de uma determinada igreja. O verdadeiro testemunho é a transformação que Deus faz na pessoa a tornando uma pessoa melhor. Se for um marido, se torna um marido melhor; se for uma esposa, se torna uma esposa melhor.
Meu amado ou minha amada peça a Deus agora para entrar em sua vida. Peça a Deus agora para transformar o seu coração e você vai experimentar o maior milagre de Deus, a salvação de um perdido pecador.

2. Exaltar a obra salvadora de Deus (v. 50)

“E a sua misericórdia é de geração em geração sobre os que o temem.”

Maria utiliza a expressão misericórdia de uma forma tremenda. Agora não está se referindo aquela misericórdia que nos derrama a graça comum, que faz a chuva cair sobre justos e injustos; que faz cada dia um novo dia onde podemos ter a oportunidade de apreciar a criação de Deus. Maria agora se refere à misericórdia de Deus que faz com que ele salve um povo só para ele. Um povo de propriedade exclusiva dele (I Pe 2:9).
Como falamos no item anterior, o maior milagre de Deus ocorre em nossa transformação. Esta por sua fez tem como alvo final nossa salvação. Devemos exaltar a Deus pela salvação que nos é dada através da cruz. Maria reconhece que Deus estende sua misericórdia aqueles que buscam esta salvação de verdade. São pessoas que reconhecem a obra salvadora do Senhor em suas vidas.
Muitos estão na igreja, mas não conseguem agradecer a Deus pela sua salvação porque não conseguem ter certeza dela. São pessoas que precisam de ativismos para se manter na obra de Deus pois não sabem que já receberam a graça de Deus em suas vidas.


3. Lembrar da justiça de Deus (v. 51-54)

"(51)Com o seu braço, agiu valorosamente, dissipou os soberbos no pensamento de seu coração,(52) depôs dos tronos os poderosos e elevou os humildes; (53) encheu de bens os famintos, despediu vazios os ricos, (54) e auxiliou a Israel, seu servo, recordando-se da sua misericórdia."

Maria em seu cântico faz questão de trazer à memória a justiça de Deus. Olhando para o mundo muitos questionam onde está Deus. Mas o fato é que Deus jamais nos abandona. O ser humano se afasta de Deus com sua arrogância, mas Deus nunca nos abandona.
O Senhor deixa claro que a vingança contra a opressão aos fracos e principalmente a seu povo, pertence somente a Ele.
Maria está apenas lembrando que Deus tem o controle de tudo. Os poderosos podem até achar que possuem alguma coisa, mas Deus vai levantar o seu povo e destruir aqueles que se acham grandes.
Como é importante em nosso louvor lembrarmos a justiça de Deus. Lembrarmo-nos que ele jamais nos abandona e que sua justiça já foi feita na cruz.

4. Exaltar a eternidade que nos é dada (v. 55)

“ (como falou a nossos pais) para com Abraão e sua posteridade, para sempre.”

Por fim, Maria lembra em seu cântico da eternidade que nós é dada. Do presente maravilhoso que é dado para aqueles que aceitam a obra de Deus; para aqueles que aceitam a obra redentora de Deus na cruz do Calvário e passam a viver dentro dos padrões que o próprio Deus estabelece.
Jesus transforma nossa vida e nos dá uma salvação para que possamos gozar não somente agora, mas também para toda eternidade. Devemos ser gratos a Deus não apenas por ele nos conceder bênçãos materiais, mas principalmente por Ele nos garantir a vida eterna. Esta é a grande promessa de Deus para aqueles que fazem parte de seu povo.
Precisamos parar de cantarmos cânticos de vitórias pessoais e materiais, para exaltarmos a tremenda majestade de Deus e a grande dádiva que vem do céu, a salvação eterna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário