terça-feira, 24 de janeiro de 2012

A SOBERANIA DE DEUS NA ESCOLHA DOS SEUS

Romanos 9:19-29

Paulo vai dar o golpe de misericórdia nos judeus que achavam que sua salvação tinha ligação com os seus méritos. Este texto é muito usado por aqueles que acreditam que Deus determina todas as coisas conforme sua vontade ativa. De fato creio que o texto favorece este argumento e fortalece a ideia de uma predestinação. Mas, como já falamos em sermões passados, há outros textos que deixam claro a escolha humana, muito embora esta escolha seja condicionada à nossa escravidão, ou seja, ou somos escravos de Deus ou somos escravos do pecado. O que Paulo deixa claro, principalmente nos capítulos 6 e 7 é que não temos outra opção, este é um dos motivos que não creio em livre-arbítrio. A referida expressão significa a capacidade de fazer o que quiser da forma que quiser. Em filosofia é a capacidade de exercer um poder sem que haja outra coisa maior do que este poder. Sendo assim, como podemos dizer que temos livre-arbítrio, se só podemos escolher entre duas opções, ou escravo do pecado, ou servo de Deus. Usando a ideia filosófica, se tenho livre-arbítrio posso escolher além do céu e inferno, outra dimensão minha e pessoal, se isto não é possível é porque não tenho este poder, logo, anula-se o livre-arbítrio.