domingo, 11 de março de 2012

A SALVAÇÃO DO REMANESCENTE

Romanos 11:1-12

O fim do capítulo 10 comprova que o evangelho alcançará toda terra. Mas para os judeus talvez ficasse a dúvida: uma vez que Deus preparou seu povo dos gentios através da pregação, logo o povo de Israel foi rejeitado? Paulo passa a responder de uma forma que traz um duplo sentido, sendo um primário e outro secundário. O primário é o mais simples de entender. Deus não rejeitou o povo de Israel e, apesar de sua queda incitar a pregação aos gentios e a salvação destes, o apóstolo deixa claro que haverá uma plenitude maior para os judeus (v.12).  Logo o restante do povo de Israel trará uma salvação maior ainda para os gentios (v. 11-12).
Mas o sentido secundário do texto nos traz uma mensagem que podemos aplicar sobre a igreja de hoje e sobre o povo de Deus de todos os tempos: “o remanescente”. Porém, antes de qualquer coisa, vale a pena você conhecer ou recordar um pouco do que representa esta expressão tão preciosa.
A ideia do remanescente está implícita desde Gênesis até Apocalipse. O próprio Jesus deixa claro esta ideia ao afirmar que muitos são chamados e poucos os escolhidos (Mt 22:14). Falar sobre muitos chamados confirma a ideia de Paulo sobre Israel em Romanos 9:6 quando o apostolo deixa claro que nem todos que pertencem a Israel serão salvos. Esta ideia Paulo repete em Romanos 9:27,28, aonde, inclusive, ele usa a expressão “remanescente”.