terça-feira, 29 de janeiro de 2013

A SOBERANIA DE DEUS NO NASCIMENTO DE JESUS



Lucas 2:1-7

1 E aconteceu, naqueles dias, que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse.
2 (Este primeiro alistamento foi feito sendo Cirênio governador da Síria.)
3 E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade.
4 E subiu da Galileia também José, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi chamada Belém (porque era da casa e família de Davi),
5 a fim de alistar-se com Maria, sua mulher, que estava grávida.
6 E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz.
7 E deu à luz o seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.

Lucas é o mais específico dos escritores sinóticos. Ele tem uma preocupação de situar os fatos na história. O decreto de César Augusto mais a informação do governador da Síria, ajudou a mostrar que nosso calendário está errado em 4 anos. Mas por trás de tudo isto pode se ver o controle da mão de Deus em todas as coisas.
Há muitos que acreditam que Deus criou o homem e o deixou a seu bel prazer. Como se a humanidade tivesse o controle de tudo. Mas o que a Bíblia nos mostra é que Deus tem o controle de todas as coisas. Nada escapa de sua majestosa soberania.
Claro que a soberana vontade de Deus não quer dizer que Ele nos faz como marionetes e não sejamos responsáveis pelos nossos atos. O homem é inteiramente responsável pelos seus erros, mas Deus não perde o controle e fará com que tudo ocorra dentro de sua vontade santa.
No texto acima vemos a soberania de Deus em alguns fatos que passo a destacar.



1.    Deus tem o controle de tudo (v. 1)

“E aconteceu, naqueles dias, que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse.”

Jesus nasceu no tempo certo. Paulo afirma que ele veio na plenitude dos tempos (Ef 1:10). Ao se ler sobre a história da humanidade e paralelamente as profecias bíblicas, algumas coisas nos assombram. Há muita precisão em todos os fatos narrados pelas Escrituras. As profecias de Daniel apontam para fatos históricos que mudariam a trajetória humana.
As conquistas de Alexandre, o Grande, fizeram com que o mundo fosse preparado para a plenitude dos tempos. O período interbíblico é recheado de cumprimentos de profecias, em especial as Daniel.
José e Maria moravam em Nazaré, mas o Messias haveria de nascer em Belém (Mq 5:2). Creio que eles nem se deram conta de como Deus estava agindo para que eles fossem parar em Belém. Deus tem o perfeito controle da história humana. Por mais que muitos não aceitem isto. Nada do que homem tenta fazer impedirá que aquilo que foi estabelecido se cumpra.
Isto deve nos dar um conforto muito grande. A salvação prometida por Deus é definitiva. Se um dia, verdadeiramente nos aproximamos dele, de forma alguma Ele nos lançará fora. Este controle deve nos fazer ter tranquilidade em nossos corações para nossa jornada nesta vida. Paulo afirma:
“Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.” (Fp 1:6)

É o próprio Deus que garante suas promessas. Ele está no controle de todas as coisas. Por tudo isso podemos descansar em suas mãos. Por tudo isso é que “aquele que habita no esconderijo do altíssimo, à sombra do onipotente descansará” (Sl 91:1). 
Os atributos incomunicáveis de Deus devem nos trazer total tranquilidade, e a soberania é um deles.

2.    As Escrituras sempre se cumprem (v. 4)

“E subiu da Galileia também José, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi chamada Belém (porque era da casa e família de Davi),”

O nascimento em Belém foi previsto pelo profeta Miqueias (Mq 5:2). Isaías escreve sobre a Palavra de Deus:
“seca-se a erva, e cai a sua flor, mas a palavra de nosso Deus permanece eternamente.” (Is 40:8)
                                          
Uma das coisas que mais me dá tranquilidade na vida é saber que a Palavra de Deus sempre se cumprirá. Isaías, ao afirmar isto, está deixando claro que devemos crer na suficiência da Palavra de Deus. Nenhuma profecia Bíblica deixará de ser cumprida. Isto deveria nos dar tranquilidade na vida cristã para vivermos confiadamente.
Muitos cristãos confiam apenas em milagres e manifestações, mas não conseguem crer na Palavra de Deus. São como Tomé (Jo 20:25). Jesus ao admoestá-lo afirmou: “Bem-aventurado aquele que não viu, contudo crê” (Jo 20:29). Isto significa que a fé baseada na Palavra traz a verdadeira alegria. Nossa alegria em Deus não deve ser baseada nos milagres e sinais que ocorrem, mas na Palavra de Deus que sempre se cumpre e cumprirá.
A maioria das pessoas que se afastam do evangelho é porque não confiavam nas Escrituras, mas sua confiança se baseia em experiências humanas. A fé baseada nas promessas da Palavra é uma fé mais sólida. É uma fé que não se deixa abater facilmente; não se deixa levar por ventos de doutrinas;. não se deixa levar por problemas da vida (II Tm 3:16, 17).
Outra questão importante é que as pessoas que vivem confiadas na Palavra sabem em que creem. Isto ocorre porque a fé baseada na Palavra dá direcionamento à vida (Sl 119:105). Quando se está sem rumo na vida, o melhor caminho é buscar o consolo que vem da Palavra de Deus.
Tenha uma fé baseada na Palavra, pois as promessas de Deus são infalíveis. Mas nossos caminhos normalmente estão longe da vontade de Deus.

3.    Os caminhos de Deus não são nossos caminhos (v. 7)

E deu à luz o seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.”

Se tentarmos olhar o nascimento de Jesus pela ótica de alguém que estivesse lá, naqueles momentos de alegria e dor de Maria, de êxtase e preocupação de José, jamais conseguiríamos imaginar que estaria nascendo ali o Rei dos reis, o Senhor dos senhores.
J. C. Ryle lembra que as circunstâncias nas quais Jesus nasceu não poderiam ser mais perfeitas para mostrarem a graça e condescendência de Deus. Se nascesse em um palácio talvez Ele não tivesse tamanha autoridade para falar ao coração do homem pecador.
Muitos tentam entender a soberania de Deus. Teólogos renomados há séculos discutem sobre este assunto. Alguns querem compreender os caminhos de Deus e criam as teorias mais estapafúrdias que se pode imaginar.
Mais uma vez citando o profeta Isaías somos alertados:
“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o Senhor. Porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos.” (Is 59:8,9)

Este é um dos motivos que acho perda de tempo discutir alguns aspectos da soberania de Deus. Mas complicam do que edificam. A mim compete apenas pregar o que a Palavra de Deus nos aponta, o restante deixo por conta do Espírito Santo de Deus que sabe todas as coisas.
O nascimento de Jesus será sempre um mistério para o homem, mas o grande mistério mesmo é que, através da vida e da morte de Cristo, Deus criou para si um povo todo seu. Tudo através do sangue de Cristo na cruz do Calvário.
A humanidade tenta buscar meios para alcançar a salvação diante de Deus. Ele nos oferece um meio tão simples, porém tão difícil: a fé na obra redentora de Cristo, através da confissão dos pecados e a aceitação de Jesus como Senhor e Salvador de nossas vidas. Ele simples porque não depende de nada da nossa parte a não ser a fé e o arrependimento. Ele é difícil, porque poucos são aqueles dispostos a se humilhar e reconhecer sua situação de pecado diante de um Deus santo.
Como está a sua situação diante de Deus? Como está sua vida diante do Senhor dos senhores? Não tente entender a cruz, apenas a aceite, ela faz parte do plano soberano de Deus para a humanidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário