domingo, 10 de fevereiro de 2013

CUIDADO COM O FALSO ARREPENDIMENTO



Oseias 6:1-11

Falamos no último sermão sobre os passos ao verdadeiro arrependimento. O texto na realidade mostra algo muito mais amplo do que isto. Israel está dizendo que volta para o Senhor, mas seu arrependimento não é verdadeiro. Mesmo que os primeiros dois passos mostrem um interesse, mas eles não foram feitos do fundo do coração, por isso o terceiro passo é fundamental. O arrependimento é ineficaz se apenas um dos passos existir.
O texto em questão nos traz alguns alertas para termos cuidado com o falso arrependimento. Apesar de o desejo de conhecer a Deus ser um dos sinais do verdadeiro arrependimento, ele precisa ser realizado com muita sinceridade. É isto que Oséias mostra em todo capítulo.
Vi um post sobre pessoas famosas que depois que se converteram, largaram o carnaval. Em um deles a pessoa afirma que deixar o carnaval “foi um ciclo que fechou” e que “a festa é linda”. Não posso julgar ninguém, mas o meu passado pecaminoso não foi um ciclo apenas. A ideia de ciclo parece que era algo que tinha que acontecer, que faz parte da vida. Arrependo-me dos pecados do passado, não os considero apenas um ciclo, mas esterco para o meu crescimento. Também não os considero lindos, pois eles representam o horror no qual estava a minha alma diante de um Deus santo. Precisamos ter noção do que significa o verdadeiro arrependimento.
O último ponto do sermão anterior é a deixa para este que agora passamos a descrever. Deus não quer religiosidade sem vida. Ele não deseja que sejamos religiosos sem coração, sem amor, sem testemunho e sem justiça. Israel achava que seu arrependimento parcial e interesseiro seria suficiente, mas Deus deseja um arrependimento real.

1.    O falso arrependimento produz frutos passageiros (v. 4)

“Que te farei, ó Efraim? Que te farei, ó Judá? Porque a vossa beneficência é como a nuvem da manhã e como o orvalho da madrugada, que cedo passa.”

Deus está mostrando que o arrependimento precisa ser completo. Que ele deve nos levar a produzir frutos. Israel quer buscar ao Senhor por medo do castigo e não porque deseja largar o pecado. Ao dizer “vinde e tornemos ao Senhor, porque ele despedaçou e nos sarará”, o povo está afirmando que seu temor está no castigo e não no amor a Deus.
Quantos afirmam arrepender-se mais suas vidas não condizem com o arrependimento. Não há interesse em buscar a Deus de verdade. Muitos vão aos santuários apenas por interesse e não por amor a Deus.
Quantos deixam de pecar apenas porque não estão sendo vistos por alguém. Isto mostra que não conhecem o Deus onisciente.
A ideia da nuvem da manhã e do orvalho, além de produzir a analogia de não serem suficientes para gerarem frutos, também produzem a ideia de algo que é passageiro e não duradouro. Precisamos nos preocupar com a verdade de nosso arrependimento.

2.    O falso arrependimento endurece a mensagem de Deus (v. 4)

“Por isso, os abati pelos profetas; pela palavra da minha boca, os matei; e os teus juízos sairão como a luz.”

Muitos me questionam dizendo que sou duro demais em minhas mensagens. Outros afirmam que mensagens como as minhas são julgadoras e não edificam. Mas a realidade da Palavra de Deus é muito mais dura do que parece. Quase 70% da Bíblia implicam em repreensão e alerta de Deus contra o pecado, principalmente do seu povo. Isto ocorre exatamente por causa da iniquidade que habita no meio do povo.
Nos tempos atuais as pessoas querem se reunir com a igreja para receberem mensagens que massageiam seus egos, que levantem a sua autoestima, mas não querem ser alertadas contra o pecado. A iniquidade tem preenchido o coração do povo de Deus e precisa ser combatida. Quanto mais o povo peca, mas dura fica a mensagem.
Não podemos achar normal o homossexualismo, o divórcio, o adultério, o homicídio, a fofoca, entre tantas outras manifestações pecaminosas. Deus quer confortar o seu povo, mas este precisa ser alertado contra o mau caminho. Jesus morreu por nós ainda pecadores, mas a morte dele deve nos tirar do pecado, nunca nos manter nele.

3.    O falso arrependimento mantem o caminho da apostasia (v. 10)

“Vejo uma coisa horrenda na casa de Israel: ali está a prostituição de Efraim; Israel está contaminado.”

Falamos alguns sermões atrás que a prostituição é comparada à apostasia. É exatamente isto que Deus está falando agora. O versículo 10 mostra que tudo que Israel falou nos três primeiros versos, embora recheado de verdade, ainda era superficial. O arrependimento interesseiro não agrada a Deus e apenas nos afunda ainda mais na apostasia.
Muitos agem de uma forma semelhante quando seus pecados são descobertos. Voltam contristados à igreja; imediatamente procuram trabalhar, mas continuam com suas ideias estranhas com relação ao pecado. Não demonstram real arrependimento em suas vidas.
Há também aqueles que não aceitam a disciplina da igreja ou do pastor e mudam de igreja, levando consigo seus pecados. O verdadeiro arrependido aceita a disciplina e as consequências do seu pecado. Murmurar contra a igreja ou seus lideres quando o pecado é exposto apenas mostra que o arrependimento é falso e a doutrina é apóstata. Isto faz com que se caminhe para o juízo de Deus.

4.    O falso arrependimento trará o juízo de Deus (v. 11)

“Também tu, ó Judá, serás ceifado.”

Mesmo Judá que andou mais próximo da vontade de Deus sofrerá a consequência do pecado sobre sua vida. O que precisamos entender é que Deus abomina o pecado veementemente. A santidade de Deus é tão grande que Ele não aceita que pequemos.
Quando o arrependimento é falso o juízo de Deus é estabelecido imediatamente. Precisamos nos quebrantar diante de Deus. Precisamos nos quebrantar diante da cruz. Jesus veio a este mundo para nos dar esperança, mas o passo decisivo que damos é através do arrependimento genuíno. Isto significa que é muito mais do que ir à igreja ou deixar de praticar algo. É uma coisa que deve preencher nossa mente e nosso coração com a santidade de Deus.
Se você afirma ser cristão e ser alguém que experimentou o amor de Deus, coloque-se diante dEle com uma vida de pureza e santidade. Busque realmente se prostrar com santidade diante daquele que por amor se entregou à dor e à vergonha por amor a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário