terça-feira, 19 de março de 2013

O CAMINHO PARA A IDOLATRIA



Oseias 8

Deus não aprova os reis que subiram ao trono com assassinato de outros reis (v. 4). O discurso duro de Oseias continua. Seu objetivo é levar o povo para o verdadeiro arrependimento.
Como é triste saber que muitos fogem das mensagens de alerta e de exortação por preferirem apenas serem acalentados e terem seus egos amaciados. Por preferirem as bênçãos de Deus e não o Deus das bênçãos. São pessoas que gostam de ouvir coisas que fazem coceiras nos ouvidos. A disciplina de Deus consiste em uma demonstração de amor verdadeiro.
Mesmo diante das ameaças de Deus o coração do povo continua endurecido. Deus então manda Oseias tocar a trombeta. Isto significa que o juízo estava prestes a acontecer. A trombeta é sinal de que o inimigo irá atacar a qualquer momento. A infidelidade de Israel, e sua deslealdade para com Deus, fazem com que a ira de Deus seja derramada sobre a nação.

Em meio a mais uma admoestação firme ao povo, Deus nos mostra como se dá a caminhada para a idolatria. Mostra como o povo chegou aonde chegou.

Caminha-se para a idolatria quando:

1.    Desobedece-se a Palavra de Deus (v. 1, 4, 9)

“...porque traspassaram o meu concerto e se rebelaram contra a minha lei.”
“o meu povo escolheu reis sem me consultar”
“Eles foram pedir ajuda a Assíria e pagaram outras nações para os proteger”

A desobediência envolve dois aspectos: vertical e horizontal. Traspassar o concerto envolve o aspecto vertical. É o amor a Deus colocado em prova. Rebelar-se contra a lei compreende o aspecto horizontal. Afinal, a lei foi criada para proteger o próprio homem, para dar equilíbrio à sociedade. Podemos ver aqui o resumo da lei que Jesus declarou. O amor a Deus e o amor ao próximo.
Nos versos 4 e 9 vemos que a vontade de Deus não é nem sequer colocada em pauta. Como é triste saber que muitos colocam sempre seus sentimentos acima da vontade de Deus. Deus abomina o divórcio, mas ainda assim poucos se preocupam em fazer a vontade de Deus, pois suas felicidades nesta vida são mais importantes do que fazer a vontade de Deus. Deus aborrece a idolatria, mas ainda assim muitos querem justificar sua idolatria como sendo um ato de fé. Deus repudia o homossexualismo, mas alguns insistem em dar vazão aos desejos do que a racionalidade de sua fé.
Começamos a desobedecer a Deus quando não buscamos os conselhos de sua Palavra. E culminamos quando deixamos de orar e buscar a sua face.
Muitos hoje vivem em depressão, em tristezas, em dores mil. Mas poucos são que buscam em Deus uma resposta. A maioria prefere buscar respostas na sabedoria humana. Síndromes e doenças são diagnosticadas para tratarem muitas vezes a doença da alma, o pecado. É mais fácil ouvir que “você deve se aceitar como é”, do que “você precisa se arrepender de seus pecados”. É mais fácil ouvir “o importante é ser feliz” do que “o importante é fazer tudo por amor a Deus”. É mais fácil ouvir que basta uma medicação ou terapia, do que ter de fato um compromisso com Deus e fugir do pecado.
É preciso ter uma atitude de arrependimento diante de Deus e não arrumar desculpa para o pecado.

2.    O clamor não é sincero (v. 2,3)

“E a mim clamarão: Deus meu! Nós, Israel, te conhecemos. Israel rejeitou o bem; o inimigo persegui-lo-á.”

Pior do que a desobediência é a ilusão de obediência. Hernandes Dias Lopes lembra que Israel achava que estava tudo bem. Continuavam praticando sua religiosidade, mas suas vidas estavam completamente longe de Deus. Era um clamor falso.
Jesus nos alerta sobre isso. Em Mateus 7:21-23 ele afirma:
“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele Dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E, em teu nome, não expulsamos demônios? E, em teu nome, não fizemos muitas maravilhas? E, então, lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.”

O que Jesus nos mostra é algo profundo. Aqueles muitos que se apresentarão diante dEle pensarão que conheceram a Deus em suas vidas, mas seu clamor era falso. Era um clamor movido pelo interesse e pela auto justificação. Oseias mostra algo bem semelhante. Israel afirma conhecer a Deus, mas rejeita aquilo que Ele determina, ou seja, rejeita o bem. Quando se rejeita o que Deus determina, significa que rejeitamos a vontade de Deus. E quando isto ocorre, significa que estamos em desobediência. Quem conhece de fato a Deus procura fugir da prática do mau.
Os templos hoje estão cheios. Em especial aqueles que oferecem apenas cura para as coisas desta vida. Os grupos que tentam expor o puro evangelho se esvaziam. Os santuários que mais enchem são os que tratam das coisas desta vida. Nestes templos há muito clamor. Há muito choro e demonstração de religiosidade. Mas será que há sinceridade nos corações? Será que há um compromisso real com Deus? Ou será que tudo não passa de meios para que cada um agrade a si mesmo?

3.    Os ritos satisfazem apenas os desejos humanos (v. 13)

“Eles me oferecem sacrifícios e gostam de comer dos animais sacrificados. Mas eu, o Senhor Deus, não estou contente com eles. Eu lembrarei dos seus pecados e os castigarei” (Nova Tradução na Linguagem de Hoje)

A tradução acima fala tudo. “Gostam de comer dos animais”. Hoje muitos vão para a igreja porque gostam de cantar, de dançar, ou de fazer alguma coisa, que se sinta bem. Mas poucos querem um compromisso real com Deus.
Os israelitas estavam cumprindo os ritos estabelecidos, mas não tinha o seu coração realmente voltado para Deus. Eles gostavam do resultado final. Eles gostavam de poder se deliciar nas carnes que eram queimadas.
Muitos hoje escolhem igrejas porque podem usufruir de ar condicionado ou de poltronas acolchoadas. São pessoas que nem sequer pensam no que está sendo exposto de púlpito ou mesmo se a doutrina é bíblica ou não. Mas se preocupam apenas com seu conforto pessoal. Usam os rituais apenas como meio de satisfazerem a si mesmos.
Será que isto não tem ocorrido com você? Será que você tem procurado uma igreja que possa atender seus desejos ou gostos, mas de fato não tem procurado ouvir o que Deus tem para lhe falar? Será que você tem procurado uma igreja que ofereça algo para seus filhos quando você deveria fazer isto e ao mesmo tempo se alimentar da verdadeira Palavra de Deus? Pense nisso.

4.    Esquece-se de Deus (v. 14)

“pois o povo de Israel esqueceu o seu Criador. O povo de Israel construiu palácios, e o povo de Judá construiu cidades cercadas de muralhas; mas eu vou mandar um fogo que queimará as cidades e destruirá as fortalezas.”

A expressão traduzida por “esqueceu” creio que se encaixaria melhor “ignorou”. A tradução parece levar em conta o fato de Deus lembrar dos pecados e Israel esquecer o mandamento. Mas o contexto parece favorecer muito mais a ideia de ignorar do que esquecer. Mas de qualquer forma este esquecimento não é aceito por Deus. O Senhor fala que vai mandar de volta para o Egito. Deus muitas vezes faz com que o pecado fique ainda mais exposto como forma de castigo. Esta é a ideia de voltar ao Egito.
Em Romanos Paulo mostra isto no que tange o pecado da homossexualidade (Rm 1:26, 27). É mais uma prova que a ira de Deus ainda está sobre a humanidade e mesmo sobre o povo de Deus quando não há o arrependimento verdadeiro.
Quantos têm se esquecido de Deus. Quantos ignoram os mandamentos de Deus e buscam a sua própria perdição e castigo. Deus não aceita o pecado. Ele não admite que falhemos com Ele. E Ele exige que se  falharmos nos quebrantemos com um arrependimento sincero e puro.
Meu amado ou amada, talvez sua vida esteja longe da vontade de Deus. Talvez você esteja vivendo de forma a desagradar a Deus. Hoje você tem a oportunidade de mudar sua vida e pedir perdão a Deus e recomeçar a sua caminhada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário