segunda-feira, 27 de maio de 2013

O BATISMO DE JESUS



Mateus 3:13-17 (Mc 1.9-11; Lc 3.21,22)




13 Então, veio Jesus da Galileia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele.
 14 Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim?
 15 Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então, ele o permitiu.
 16 E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele.
 17 E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.

O texto em questão é paralelo ao do último sermão. Aliás, o acontecimento é o mesmo, apenas João não entra nos detalhes que Mateus entra.
Jesus se aproxima de João para cumprir um ritual que era comum entre os sacerdotes. Quando se chegava aos trinta anos os sacerdotes banhavam-se em água em um ritual bem semelhante ao batismo. Era um rito que simbolizava o início de seu ministério sacerdotal. Tudo indica que o fato de Jesus se batizar nesta idade tem alguma ligação com este ato, uma vez que Ele é nosso Sumo Sacerdote.

UMA CONSTANTE DESOBEDIÊNCIA

Oseias 12:1-10


Oseas mostra o amor de Deus no capítulo 11, mas o término deste já deixa a ideia de que Israel não ouviria o chamado de Deus. Deus então mostra mais uma vez o que Israel estava fazendo. Ele mostra a dor no coração por ver o quanto seu filho estava longe de seus preceitos. O quanto sua esposa amada estava traindo seu amor e confiança. O quanto a vide frondosa produzia frutos que o desagravam.
Deus restaura seu povo para que este possa glorificá-lo, mas infelizmente este mesmo povo não consegue caminhar nos caminhos que Deus estabelecera.
Neste trecho que acabamos de ler Oseias vai mostrar mais uma vez os problemas de Israel e as soluções que Deus mostra para que se resolva a questão.