domingo, 29 de setembro de 2013

UM DIÁLOGO PARA A SALVAÇÃO – parte 2

João 4:19-30

19 Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta.
20 Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar.
21 Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai.
22 Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus.
23 Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem.
24 Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.
25 A mulher disse-lhe: Eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem; quando ele vier, nos anunciará tudo.
26 Jesus disse-lhe: Eu o sou, eu que falo contigo.
27 E nisso vieram os seus discípulos e maravilharam-se de que estivesse falando com uma mulher; todavia, nenhum lhe disse: Que perguntas? ou: Por que falas com ela?
28 Deixou, pois, a mulher o seu cântaro, e foi à cidade, e disse àqueles homens:
29 Vinde e vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito; porventura, não é este o Cristo?
30 Saíram, pois, da cidade e foram ter com ele.

Alguns, por medo de discussão ou por falta de argumentos, afirmam que não devemos discutir religião. Creio que religião deve ser respeitada, mas não quer dizer quer não possamos conversar sobre o assunto.
Quando Jesus encontrou-se com aquela samaritana foi mais do que um encontro entre um homem e uma mulher, mais do que o encontro entre duas raças. Quando Jesus se encontra com aquela mulher é o encontro entre dois grupos que tinham diferentes formas de olhar para Deus e de o servir. A mulher mesmo questiona Jesus quanto a visão religiosa dEle e dos judeus.