domingo, 5 de janeiro de 2014

APRENDENDO SOBRE AFLIÇÕES

João 4:43-54


43 E, dois dias depois, partiu dali e foi para a Galileia.
44 Porque Jesus mesmo testificou que um profeta não tem honra na sua própria pátria. 
45 Chegando, pois, à Galileia, os galileus o receberam, porque viram todas as coisas que fizera em Jerusalém no dia da festa; porque também eles tinham ido à festa.
46 Segunda vez foi Jesus a Caná da Galileia, onde da água fizera vinho. E havia ali um oficial do rei, cujo filho estava enfermo em Cafarnaum.
47 Ouvindo este que Jesus vinha da Judeia para a Galileia, foi ter com ele e rogou-lhe que descesse e curasse o seu filho, porque já estava à morte.
48 Então, Jesus lhe disse: Se não virdes sinais e milagres, não crereis. 
49 Disse-lhe o oficial: Senhor, desce, antes que meu filho morra.
50 Disse-lhe Jesus: Vai, o teu filho vive. E o homem creu na palavra que Jesus lhe disse e foi-se.
51 E, descendo ele logo, saíram-lhe ao encontro os seus servos e lhe anunciaram, dizendo: O teu filho vive.
52 Perguntou-lhes, pois, a que hora se achara melhor; e disseram-lhe: Ontem, às sete horas, a febre o deixou.
53 Entendeu, pois, o pai que era aquela hora a mesma em que Jesus lhe disse: O teu filho vive; e creu ele, e toda a sua casa.
54 Jesus fez este segundo milagre quando ia da Judeia para a Galileia.

Jesus foi bem recebido em Samaria. Agora ele volta para sua terra, apesar de saber que não era bem vindo ali (Mt 13:57; Mc 6:4; Lc 4:24). 
Chegando em Caná, onde fizera o primeiro milagre, é bem recebido exatamente por causa disso (v. 45). Era a segunda vez que Jesus ia a Caná da Galileia. Um oficial do rei estava com um filho doente e ouviu dizer sobre a chegada de Jesus. Imediatamente o procurou. Cafarnaum, onde morava o oficial, distava cerca de 30Km de onde estava Jesus.
Jesus, apesar de sempre pronto a atender não deixou de dar uma lição que serve para nós hoje: “Se não tiverdes sinais e milagres, não crereis” (v. 48). J. C. Ryle escreveu uma devocional que serve de inspiração para o que vamos descrever a partir de agora. Com algumas adaptações, é ela que passamos a expor. Vamos aprender o que as aflições nos ensinam dentro da ótica que a Palavra de Deus, e em especial, Jesus no texto em questão nos ensinam.


1. As aflições não podem ser motivos para nos afastarmos de Deus (v. 48)

“Se não tiverdes sinais e milagres, não crereis”
 
Paulo, escrevendo aos filipenses, encerra sua carta de uma forma magnifica. Depois de exortar aqueles cristãos a viverem a alegria da vida cristã, o apóstolo dos gentios vai demonstrar que o que o mantêm em Cristo não são as bênçãos materiais, ou coisas deste tipo. O homem de Tarso escreve o quarto capítulo com um foco muito interessante. Ele mostra que sabe estar abatido como a ter abundância, a ter fartura ou a passar fome (v. 12). O verso 13, que tanto é usado como amuleto pelos cristãos modernos na realidade irradia algo tremendo. Ele não confere poder para resolvermos ou sairmos das aflições, mas o que Paulo nos ensina é que temos força para suportar qualquer coisa. 
Isto tudo significa que nada que nos aconteça deve ser motivo para nos afastarmos de Deus. Aqueles homens cercavam Jesus porque Ele fazia sinais. Logo, se não tivesse sinais eles não o seguiriam. Isso fica claro mais adiante quando Jesus endurece o discurso e apenas os 12 discípulos ficam para ouvi-lo. 
Hoje as igrejas que enchem são aquelas que prometem curas, sinais, milagres, mesmo que não preguem a verdadeira Palavra de Deus, mesmo que o evangelho pregado seja outro. Mesmo que fique claro que seus líderes estejam apenas se aproveitando da situação para enriquecerem ou terem status.
Talvez você busque a igreja apenas como meio de curar suas dores, suas aflições, suas doenças ou crises. Jesus realmente pode fazer, mas não quer dizer que vai fazer. Além disso a maior cura que Jesus pode nos oferecer é a do pecado que nos leva para o inferno distante de Deus. 

2. As aflições podem atingir qualquer pessoa 


Duas realidades, o doente era um jovem e seu pai era rico. Nesta vida qualquer um está propenso a passar por dores. Qualquer um está propenso a sofrer.
Muitas pessoas de classes sociais mais baixas acham que pessoas ricas não têm aflições. Seja no nível que for, todos estão propensos a isso. Jesus afirma: “A chuva cai sobre justos e injustos”. O fato é que devemos é estar preparados para isto. 
Jó era um homem rico, o mais rico de sua época. Ele era também um homem justo e bom, era temente a Deus e à sua Palavra. Mas ainda assim Jó sofreu e muito. Tornou-se pobre e doente, perdeu todos os seus filhos. Todavia Jó se manteve firme diante de Deus por causa de sua fé e confiança no redentor que tinha (Jó 19:25). Ele não perdia sua confiança em Deus mesmo que viesse as piores consequências sobre sua vida (Jó 13:16).  
Qualquer um pode sofrer. Qualquer pessoa pode passar por aflições e tribulações. Porém vale nos agarrar no conselho de Paulo: 
“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente.” (II Co 4:17)

É essa segurança que Paulo demonstra que Jesus nos pede para ter. É a confiança de Jó que devemos exercitar sabendo que a chuva pode cair sobre qualquer um (Mt 5:45). 
Outra questão importante é saber que a grande aflição do homem está em sua alma, vazia de Deus, e que isto ocorre mais exatamente com aquelas pessoas que alegam não ter falta de nada nesta vida. Quantos ricos e famosos tiram suas próprias vidas ou se acabam nas drogas porque seus corações estão vazios. 
Hoje você pode ter retirado o vazio de se coração se tão somente se arrepender de seus pecados e aceitar a Cristo como Senhor de sua vida. 

3. As aflições podem nos trazer benefícios 


Aquele homem se aproximou mais de Jesus por causa da aflição. Muitas vezes através da dor e do sofrimento nos aproximamos mais de Deus. Se voltarmos para Jó veremos que sua experiência com Deus aumentou depois de tudo que ele passou. Quando olhamos para Paulo descobrimos que as coisas que aconteceram com Ele, apesar de toda dor e sofrimento, serviram de meio para seu maior crescimento (Fp 3:8).
Também Paulo, escrevendo aos romanos, nos diz que “todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus”. Deus cuida daqueles que ama, mas não quer dizer que estaremos livres das aflições, mas, com certeza, o próprio Deus trará benefícios para nossas vidas. Ainda que não enxerguemos talvez nesta vida, mas com certeza veremos na vindoura (II Co 4:17). Este é o peso da glória mui excelente a que Paulo se refere. 
Por tudo isso que Jesus nos pede para não termos ansiedade pelas coisas desta vida. Deus nunca nos deixará faltar aquilo que precisamos e, mesmo que aparentemente nos falte, com certeza Deus será glorificado em nós e usará isto de alguma forma para nosso benefício. Além disso, o mesmo Jesus nos ensina que as aflições fazem parte da vida cristã, mas não devemos ter um coração perturbado por causa disso:
“Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” (Mt 33:3)

4. Jesus ameniza qualquer aflição pelo seu poder. 


Mesmo distante Jesus orou e aquele filho ficou curado. A distância não é um empecilho para que a oração de um justo tenho efeito. Deus é onipotente e onipresente. É lamentável como muitos não conseguem entender isso e caem em superstições como se Deus fosse depende de mandingas ou coisas desse tipo.
O mais importante de tudo é saber que com Cristo ao nosso lado temos uma paz sem igual. A própria Palavra nos garante que paz de Cristo excede todo entendimento (Fp 4:7). Vai além do que qualquer ser humano pode compreender. 
Horatio Gates Spafford foi o autor de um dos hinos mais profundos e belos de nossa hinologia, “Sou feliz” (398 do Cantor Cristão e 329 do Hinário para o Culto Cristão), em tradução livre o título original seria mais ou menos “Estou bem com minha alma”. Horatio compôs este hino no momento em que passava pelo local onde morreram afogadas quatro de suas filhas. Ele é a demonstração de alguém que sente a dor, mas sabe que Jesus ameniza o sofrimento. É interessante que Spafford, algum tempo antes, tinha perdido tudo que possuía, e depois perdeu a maior parte de sua família. Jesus amenizou sua.
Meu amado ou amada, talvez você esteja com muitos sofrimentos nesta vida e não consegue sentir paz em seu coração. Jesus, e somente Ele, é capaz de lhe dar esta paz que excede o entendimento humano, esta paz que vem mesmo na hora em que tudo parece ir muito mal. Por tudo isso é importante que se aceite a Cristo no coração, que se arrependa dos pecados e busque obedecer a Palavra de Deus. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário