domingo, 14 de agosto de 2011

UM EXEMPLO DA JUSTIFICAÇÃO DE DEUS

Romanos 4:1-15

Não podemos falar deste texto sem fazermos um pequeno resumo da vida de Abraão. 
Abrão era um homem da terra de Ur dos Caldeus, chamado por Deus para o cumpri-mento de uma promessa e a formação de um povo escolhido por Deus. Abrão obedeceu o chamado de Deus sem questionar e passou a peregrinar a caminho de uma terra que ele não conhecia. É interessante notar que ele parte de sua terra com 75 anos de idade e vai para terra separada por Deus (Gn 12:4). Nesta jornada ele monta um altar para Deus e invoca seu nome (Gn 12:7-8; 13:4, 18). Meteu-se em uma guerra para libertar seu sobri-nho Ló. No retorno dessa guerra entregou ao sacerdote do Deus Altíssimo, Melquisede-que, o dízimo de tudo (Gn 14). É interessante que tudo isto ocorre antes de seu nome ser mudado e antes da expressão “Creu no Senhor, e isso lhe foi imputado como justiça”. São três momentos na vida de Abraão que ele ouve esta expressão. Todos três envolvendo a promessa do filho: 1) Quando ouve a primeira palavra da promessa e teria uma nação como descendente (Gn 15:6 – ele tinha 80 anos); 2) Quando Deus muda seu nome e promete que Sara teria um filho aos 90 anos de idade (Romanos 4:19-22); 3) Quando Deus pediu Isaque em sacrifício para provar a fé de Abraão (Tg 2:23).  Robert F. Turner diz: “A fé de Abraão não era nenhuma experiência miraculosa. Era uma vida de obediência e serviço humildes de acordo com a vontade revelada de Deus.”