sexta-feira, 22 de março de 2013

ONDE ESTÁ O REMANESCENTE DE DEUS?




Segundo o censo de 2012 a população brasileira era de 193.946.886 habitantes, dos quais 42.275.440 são pessoas que se dizem evangélicas, isto corresponde a 21,8 %  da população. Muitos fazem disso um marketing para que possamos até mesmo eleger um presidente. Particularmente acho isto muito perigoso, pois não vejo nenhum político, evangélico ou não, que mereça minha confiança.
Mas o que me intriga é que os puritanos eram menos de 1% da população dos países onde ocorreu o puritanismo, mas eles conseguiram abalar as estruturas daqueles países. Lucas narra que quando Paulo chegou em Tessalônica disseram: “Estes que têm alvoroçado o mundo chegaram também aqui” (At 17:6b). E olha que os cristãos não correspondiam a 0,5% da população mundial da época. As perguntas que faço: Por que não estamos alvoroçando o nosso país? Por que não consigo ver a diferença no dia a dia? Por que tantos e tantos evangélicos se mentem em escândalos? (Claro que em muitos casos pode haver injustiça e perseguição, mas nem todos).

CUIDADO COM O TELHADO DE VIDRO



Quando criança ouvi muito minha mãe dizer: “Quem tem telhado de vidro não atira pedra no telhado dos outros”. Eis um ditado popular carregado de verdade e cheio de lições para nos ensinar.
Tenho visto alguns posts, principalmente nas redes sociais, de cristãos que, em virtude das “perseguições” que sofrem os pastores da bancada evangélica do congresso e do senado, mostrando uma reportagem sobre um casal gay que espancava e até possivelmente violentava um menino que eles criavam.
Não compactuo com a causa gay, muito pelo contrário. Sei que a Bíblia condena e prego constantemente contra isto, bem como contra qualquer ato ou condição que a Bíblia descreva como pecado. Mas o que não posso concordar é que denegriam a imagem de todos de um grupo (que no caso são os gays) por causa de duas pessoas que fizeram isto. Quantas reportagens sobre pastores, padres e outros lideres cristãos que abusavam de crianças, que estupraram, adulteraram, entre tantas outras coisas. Que trabalho teve a igreja católica com padres que abusavam de meninos em tantos países do mundo. E ao invés de entrega-los à justiça, preferiam que mudassem de paróquia, apenas transferindo o problema, gerando uma indignação na comunidade mundial.
Não se pode condenar um grupo por causa de atitudes isoladas. O fato de ser homossexual, não faz da pessoa um estuprador necessariamente. Claro que à luz da Bíblia, Deus não faz diferença, mas isto apenas significa que devemos pregar o mesmo evangelho tanto para o gay, como também para o estuprador, sem, no entanto, fazer este igual aquele diante da sociedade.
Antes de criticarmos os gays por causa de fatos isolados deveríamos olhar para nossas vidas. Quantos cristãos vendem CD´s e DVD´s piratas nas praças, isto é roubo, é crime. Quantos cristãos mentem no seu dia a dia, e acham isto normal. Deus condena a mentira tanto quanto condena o homossexualismo e o estupro. Quantos cristãos adotam o “jeitinho brasileiro” em suas vidas, não importa se isto fere a Bíblia ou não. Afinal, “o importante é levar vantagem em tudo”. Quantos ainda votam em políticos apenas porque estes atendem os seus interesses pessoais, não pensando na coletividade. Se você faz qualquer uma dessas coisas, ou outras que a Bíblia condena, não tem autoridade para falar sobre o comportamento de um grupo baseado em casos específicos. Afinal, quem tem telhado de vidro não pode atirar pedra no telhado dos outros. Se julgarmos que todo gay é estuprador, estamos dando o direito que pensem que todo cristão também é.

“Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas, no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus.” (Mt 5:13-18)

ESCOLHENDO UMA IGREJA – Final



A escolha


Depois de vermos as desculpas que grande parte usa para justificar porque faz parte desta ou daquela igreja, vejamos o que podemos aprender da Bíblia sobre a escolha.
A primeira coisa que deve ficar clara é que não existe cristianismo sem igreja. Se alguém afirma ser um cristão precisa ser membro do corpo de Cristo, e isto implica no sentido físico (Hb 10:25). Dentro deste aspecto vale notar que o autor aos hebreus refere-se a uma igreja local. Como igreja local deve-se notar na sua localidade. Quando você busca outra localidade, significa que não reúne com sua comunidade local, logo, não há comunhão genuína. Salvo se os pontos que passaremos a descrever você não encontrar em sua localidade.

terça-feira, 19 de março de 2013

UMA SOBERANA PROTEÇÃO



Mateus 2:13-23

13 E, tendo-se eles retirado, eis que o anjo do Senhor apareceu a José em sonhos, dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga, porque Herodes há de procurar o menino para o matar.
14 E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito.
15 E esteve lá até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho.
16 Então, Herodes, vendo que tinha sido iludido pelos magos, irritou-se muito e mandou matar todos os meninos que havia em Belém e em todos os seus contornos, de dois anos para baixo, segundo o tempo que diligentemente inquirira dos magos.
17 Então, se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias, que diz:
18 Em Ramá se ouviu uma voz, lamentação, choro e grande pranto; era Raquel chorando os seus filhos e não querendo ser consolada, porque já não existiam.
19 Morto, porém, Herodes, eis que o anjo do Senhor apareceu, num sonho, a José, no Egito,
20 dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e vai para a terra de Israel, porque já estão mortos os que procuravam a morte do menino.
21 Então, ele se levantou, e tomou o menino e sua mãe, e foi para a terra de Israel.
22 E, ouvindo que Arquelau reinava na Judéia em lugar de Herodes, seu pai, receou ir para lá; mas, avisado em sonhos por divina revelação, foi para as regiões da Galiléia.
23 E chegou e habitou numa cidade chamada Nazaré, para que se cumprisse o que fora dito pelos profetas: Ele será chamado Nazareno.

Lucas não narra a fuga para o Egito. Não podemos dizer com precisão o motivo. Mas podemos imaginar que está ligado à sua visão gentílica. Mateus se preocupa em falar sobre isto porque estava preocupado com a visão judaica do Messias. No trecho que acabamos de ler há três menções de profecias que se cumpriram depois do nascimento de Jesus. A primeira diz respeito ao Egito, encontra-se em Oseias 11:1. Refere-se a Israel quando ainda não era uma nação e foi enviado para o Egito para ser protegido da fúria da seca e da fome que assolava o mundo da época. Este acontecimento mostra-se, à luz do que diz Mateus, tipológica, ou seja, ela apontava para a proteção que Deus daria a seu filho da fúria de Herodes.
A segunda profecia diz respeito à matança dos infantes, esta ocorre em Jeremias 31:15. Ramá é a região onde se encontrava Belém. Em sua fúria desumana, e sem conhecimento real da profecia, Herodes manda matar todas as crianças com menos de 2 anos. Alguns acreditam que essa seria a idade de Jesus, uma vez que o texto diz que ele inquiriu diligentemente os magos para saber sobre o nascimento de Cristo. Mas realmente não dá para afirmar isto com precisão. O fato é que isto mostra a fraqueza de nossos corações. A debilidade que o pecado nos leva a praticar.

O CAMINHO PARA A IDOLATRIA



Oseias 8

Deus não aprova os reis que subiram ao trono com assassinato de outros reis (v. 4). O discurso duro de Oseias continua. Seu objetivo é levar o povo para o verdadeiro arrependimento.
Como é triste saber que muitos fogem das mensagens de alerta e de exortação por preferirem apenas serem acalentados e terem seus egos amaciados. Por preferirem as bênçãos de Deus e não o Deus das bênçãos. São pessoas que gostam de ouvir coisas que fazem coceiras nos ouvidos. A disciplina de Deus consiste em uma demonstração de amor verdadeiro.
Mesmo diante das ameaças de Deus o coração do povo continua endurecido. Deus então manda Oseias tocar a trombeta. Isto significa que o juízo estava prestes a acontecer. A trombeta é sinal de que o inimigo irá atacar a qualquer momento. A infidelidade de Israel, e sua deslealdade para com Deus, fazem com que a ira de Deus seja derramada sobre a nação.