terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

A JUSTIÇA DA LEI

Romanos 10:1-5

Paulo mantem em foco a questão dos judeus que procuravam o caminho da justiça através de seus próprios méritos e obras.  Os judeus, como bem lembra Murray, procuravam estabelecer sua própria justiça, não se sujeitando à justiça de Deus.
Paulo tinha o desejo que seus compatriotas fossem salvos e conhecessem a verdadeira justiça. Mas ele sabia que isto não era de fato possível, pois a visão que eles tinham era distorcida pelos seus pensamentos terreais, ou seja, pensamentos voltados somente para coisas desta vida. Havia neles um imenso gosto pela religião e pela religiosidade, mas isto não os fazia enxergar a verdadeira justiça que vem de Deus, a justiça da fé. Sendo assim, o apóstolo dos gentios passa a mostrar alguns problemas que precisam ser vistos sobre a justiça da lei, que bem poderíamos chamar de “A justiça de uma religião”.
É importante frisar, como afirma John Stott, que Paulo não tinha dúvida sobre a religiosidade de seu povo. Não foi sem motivo que pregamos a dois sermões atrás “Religiosos, mas perdidos”. Assim como hoje há muitas pessoas sinceras em sua religiosidade, mas na realidade estão muito longe da vontade de Deus.