quarta-feira, 10 de julho de 2013

A REALIDADE DA PUNIÇÃO DE DEUS

Oseias 13:12-15


Oseias não reduz o tom de seu discurso. Ele, através do mandato de Deus, chama atenção do povo de uma forma veemente. O povo não se quebranta. Israel se mantem no caminho do pecado. Parece que não acredita na punição que pode vir de Deus.
Hoje nosso povo parece viver do mesmo modo. Pessoas vivem um cristianismo relaxado e distante da Palavra de Deus. Vive-se como se a ira e a disciplina de Deus não fossem uma realidade na vida. Deus ama seu povo, mas este amor não o impede de discipliná-lo, não impede de derramar seu furor diante do pecado não confessado, diante de uma vida longe de sua vontade. Esse trecho que lemos mostra exatamente essa realidade, a realidade da disciplina de Deus sobre o seu povo. O autor aos hebreus afirma:
“porque o Senhor corrige o que ama e açoita a qualquer que recebe por filho.” (Hb 12:6)

domingo, 7 de julho de 2013

EFEITOS DA PRESENÇA DE JESUS

João 2:1-12


1 E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galileia; e estava ali a mãe de Jesus.
2 E foram também convidados Jesus e os seus discípulos para as bodas.
3 E, faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho.
4 Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.
5 Sua mãe disse aos empregados: Fazei tudo quanto ele vos disser.
6 E estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam duas ou três metretas.
7 Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima.
8 E disse-lhes: Tirai agora e levai ao mestre-sala. E levaram.
9 E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os empregados que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo.
10 E disse-lhe: Todo homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então, o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho.
11 Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galileia e manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele.
12 Depois disso, desceu a Cafarnaum, ele, e sua mãe, e seus irmãos, e seus discípulos, e ficaram ali não muitos dias.


Esta é uma passagem singular. Nela se encontra o motivo de sua inserção no cânon sagrado:
“Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galileia e manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele.” (v. 11)

Há algum tempo atrás um certo “bispo” disse que não concordava com essa passagem pois não entendia por que Jesus “apenas” transformou água em vinho. É lamentável que alguém que se diz profeta de Deus, que se autodenomina bispo do Senhor, afirma que uma parte para Palavra parece não ter utilidade. O próprio João deixa isso muito claro quando afirma que todos os sinais feitos foram feitos para que Jesus fosse crido (Jo 20:30,31).  J.C. Ryle afirma:
“O milagres descrito nesses versículos possui interesse especial aos olhos do crente verdadeiro” (J. C. Ryle, Meditações no Evangelho de João, p. 25)